Prevenção Moradores do Alto da Conquista são atendidos pelo mutirão contra a hanseníase

Publicado em: 10/04/2019 21:09 Atualizado em:

Foto: Divulgação/Prefeitura de Olinda.
Foto: Divulgação/Prefeitura de Olinda.
A manicure Wilma da Silva, 32 anos, nem sabia que a mancha no corpo poderia ser sinal de uma doença. Procurou a Unidade de Saúde da Família (USF), do Alto da Conquista, em Olinda, nesta terça-feira (09.04), para tirar dúvidas e fazer o teste para o diagnóstico da hanseníase. Dentro do mutirão que está sendo realizado até sexta-feira (12), pela Secretaria de Saúde de Olinda.

"Era algo que eu não esperava, e a gente vai deixando de lado o cuidado com saúde e termina agravando", afirmou, enquanto era atendida por um dos 49 enfermeiros que fazem parte da ação. Ao lado de 30 médicos eles estão atendendo dentro da 4.ª Etapa do projeto Abordagens Inovadoras para Investigação e Esforços para um Brasil Livre da Hanseníase.

O chamado da Secretaria de Saúde de Olinda é para todos que apresentem manchas esbranquiçadas ou amarronzadas na pele e que não provocam ardência, coceira ou dor precisam ficar atentas. A coordenadora municipal de Tuberculose e Hanseníase, Deisiany Carvalho, reforça que o procedimento é rápido. "Não precisa marcar, por ordem de chegada as pessoas são atendidas, recebem orientação e passam pelo exame. Estamos recebendo pessoas de todas as idades", explica.  


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.