Saúde Pernambuco registra primeira morte por leptospirose

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 02/04/2019 09:30 Atualizado em: 02/04/2019 09:33

Os surtos têm ligação com as condições precárias de saneamento básico e a frequência de chuvas, que provocam as cheias.
Foto: Hesíodo Góes/ArquivoDP. (Os surtos têm ligação com as condições precárias de saneamento básico e a frequência de chuvas, que provocam as cheias.
Foto: Hesíodo Góes/ArquivoDP.)
Os surtos têm ligação com as condições precárias de saneamento básico e a frequência de chuvas, que provocam as cheias. Foto: Hesíodo Góes/ArquivoDP.

Pernambuco confirmou a primeira morte por leptospirose ocorrida em 2019. A vítima morava em Jaboatão dos Guararapes e tinha 41 anos. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o óbito foi registrado no dia 18 de janeiro desse ano. Já foram notificados 112 casos da doença até o último dia 30. Desses, 15 foram confirmados, 65 estão em investigação e 32 foram descartados.

No mesmo período de 2018 foram 176 notificações e 42 confirmações. Durante todo ano passado, foram notificados 839 casos, sendo 207 casos confirmados provocando 11 mortes.  

A leptospirose é uma doença infecciosa febril. A letalidade pode chegar a 40% nos casos mais graves. A ocorrência tem ligação às condições de infraestrutura sanitária e alta infestação de ratos infectados. É observada principalmente nos meses mais chuvosos, quando ocorrem as inundações que propiciam a disseminação e a ocorrência de surtos.

Sintomas
Febre, calafrio, conjuntivite, dor nos músculos (principalmente nas panturrilhas), incômodo na presença da luz, dor de garganta e gânglios no pescoço. 

A doença pode apresentar quadros leves, moderados ou graves com elevado risco de óbito. É importante procurar o médico do Centro de Saúde mais próximo, caso apresente alguns desses sintomas dias após entrar em contato com águas de enchente ou esgoto, não se esquecendo de dizer ao médico que teve contato com essas águas.

Prevenção
-No caso de enchentes, evitar ou permanecer o menor tempo possível em contato com a água ou lama;
-Após a enchente, fazer a limpeza do ambiente inundado lavando e desinfetando o chão, paredes, objetos caseiros e roupas atingidas com água sanitária, na proporção de um copo para um balde de 20 litros de água. Depois, enxaguar o ambiente e objetos com água limpa. Essa limpeza deve ser feita com o uso de calçados e luvas impermeáveis;
-Não beber água mineral, refrigerantes ou cervejas diretamente em latas ou garrafas, sem que sejam devidamente lavadas. Dar preferência a copos descartáveis ou canudos plásticos;-Todo o alimento que teve contato com a água contaminada deve ser descartado, pois pode estar contaminado e transmitir doenças;
-A água de beber deve ser fervida durante 15 minutos, se não tiver água tratada;
-A caixa d’água deve ser limpa e desinfetada com solução de água sanitária a cada seis meses. No caso de suspeita de algum tipo de contaminação também deve ser feita a manutenção da mesma.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.