Cais José Estelita Advogado do Consórcio Novo Recife diz que empresas pretendem demolir dois armazéns

Publicado em: 25/03/2019 15:17 Atualizado em: 25/03/2019 16:47

Crédito: Mandy Oliver/Esp. DP
Crédito: Mandy Oliver/Esp. DP
O advogado do consórcio integrado pelas empresas Moura Dubeux, Queiroz Galvão, Ara Empreendimentos e GL, responsável pelas obras do empreendimento Novo Recife, afirmou a demolição das estruturas para construção dos edifícios compreende dois armazéns do Cais José Estelita.

De acordo com o advogado Ernesto Cavalcanti, o consórcio pretende demolir os dois armazéns que ficam localizados perto do Cabanga, numa área que compreende 10 mil metros quadrados. "A demolição está assegurada pelo alvará de demolição, o mesmo documento  que havia sido expedido pela prefeitura em 2014", disse. A demolição está prevista para ser finalizada dentro de uma semana.
 
LEIA MAIS



 
Entenda
Crédito: Mandy Oliver/Esp. DP
Crédito: Mandy Oliver/Esp. DP
As obras do Novo Recife, no Cais José Estelita, foram retomadas na manhã desta segunda-feira. Em 2012, o terreno, na área central do Recife, foi leiloado para o consórcio integrado pelas empresas Moura Dubeux, Queiroz Galvão, Ara Empreendimentos e GL. 

Após sofrer inúmeras mudanças, o projeto foi dividido. A primeira etapa, o Mirante do Cais, será composta por duas torres, que compartilharão de uma área de lazer completa, com espaço gourmet, piscina aquecida, pista de cooper, horta e pomar orgânicos. Ainda será construído um edifício garagem de cinco andares para carros elétricos. Ao todo, o Novo Recife deverá ter 13 torres.  


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.