Seminário Especialistas debatem futuro da profissão de arquiteto

Publicado em: 24/03/2019 08:27 Atualizado em: 24/03/2019 08:37

Foto: Yellow Fotografia/divulgação
Foto: Yellow Fotografia/divulgação
Temas como o ensino da arquitetura e urbanismo, inovação e empreendedorismo, além de questões relativas ao futuro da profissão foram o foco das palestras e oficinas promovidas no Seminário Nacional de Arquitetura e Urbanismo, uma iniciativa do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco (CAU/PE). O evento aconteceu durante dois dias no centro de convenções do Cais do Sertão, no Bairro do Recife.

Para o presidente do CAU/PE, Rafael Amaral Tenório, as discussões confirmaram que as transformações globais exigem uma postura diferenciada e inovadora para assegurar espaço no mercado. “O arquiteto e urbanista é uma das mais antigas profissões do mundo. O desafio é se reinventar, estando preparado para atender as demandas, tanto do hoje, mas sobretudo do futuro, do que está por vir, com competência e em sintonia com os novos paradigmas e visões de mundo”, afirmou o presidente do CAU/PE.

O evento reuniu especialistas de todo o país. Os arquitetos Bruno Santa Cecília, um dos responsáveis pelo projeto da Galeria Claudia Andujar, em Inhotim, e o premiado Daniel Mangabeira foram alguns dos nomes que passaram pelo seminário. O professor emérito do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Silvio Meira, também participou do seminário. O êxito do evento já faz o CAU/PE pensar na segunda edição do seminário.

Essa edição do Seminário Nacional de Arquitetura e Urbanismo marcou também o primeiro ano da atual gestão do conselho estadual, que está focada na interiorização dos serviços do CAU/PE, na capacitação dos profissionais e na valorização da profissão. “Eventos como esse são fundamentais para integrar os arquitetos e urbanistas do nosso estado. Essa é apenas uma das ações que estamos desenvolvendo para valorizar os profissionais”, pontuou Rafael Amaral Tenório.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.