• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Polícia Rebelião na Barreto Campelo se agrava com tiros e bombas de efeito moral

Por: Adaíra Sene

Publicado em: 20/01/2015 16:44 Atualizado em: 20/01/2015 20:12

Foto: Allan Torres/TV Clube
Foto: Allan Torres/TV Clube
Tiros e bombas de efeito moral são disparados para conter a rebelião na Penitenciária Barreto Campelo, Itamaracá, na tarde desta terça-feira (20). A manifestação, que seguia controlada desde o início da manhã, se agravou após a entrada do promotor da Vara de Execuções Penais de Pernambuco, Marcellus Ugiette, na unidade prisional. Viaturas de resgate do Corpo de Bombeiros prestam socorro aos feridos, mas ainda não informação sobre quantidade e nomes.



Em resposta a ação da Polícia Militar, os internos estão destruindo paredes, incluindo a capela da penitenciária, para arremessar pedras contra os militares do 17º Batalhão e do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati).

Rebelião

Os detentos da Barreto Campelo se rebelaram após a segunda-feira de tumulto no Complexo Prisional do Curado, no Recife, que terminou com a morte de um sargento e um detendo e deixou outros 29 presos feridos. Os internos pedem maior celeridade processual e alegam que muitos deveriam estar soltos. Eles exigem a revisão dos processos pelo juiz Cícero Bittencourt, titular da 2ª Vara de Execuções Penais. O magistrado está de férias. A unidade tem capacidade para 600 detentos e atualmente abriga 1.938.

Com informações do repórter Raphael Guerra, do Diario de Pernambuco

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.