Governo Federal Geraldo Julio lança São João do Recife com críticas ao governo Bolsonaro

Por: Rosália Rangel - Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/06/2019 20:28 Atualizado em: 10/06/2019 20:57

O prefeito afirmou que no Recife a festa será da paz. Foto: Bruna Costa/Esp.DP
O prefeito afirmou que no Recife a festa será da paz. Foto: Bruna Costa/Esp.DP
Ao anunciar nesta segunda-feira (10) a programação do São João, o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), aproveitou o momento para criticar, sem citar nomes, a gestão do presidente Jair Bolsonaro. O socialista fez um discurso pautado no cenário de crise enfrentado pelo país e nos cortes feitos pelo governo federal que, na avaliação dele, atingem diretamente a população mais vulnerável.

Na solenidade, o prefeito lembrou que o governo do município está criando oportunidades, oferecendo minicursos nas comunidades para atender pessoas que já não podem pagar uma passagem de ônibus para se deslocarem para escolas mais distantes. "Três anos sem emprego não é fácil. E é nessa condição que anunciamos ações para fazer o dinheiro circular na mãos das pessoas".

 “Essas pessoas (do governo federal) não têm essa sensibilidade. Só fazem cortar o que vai chegar na mão do povo. Não corta nada do que chega para elite. É por isso que eles não colocam dinheiro na cultura. Não colocam porque a cultura se espalha pela sociedade, pelas cidades, pelas regiões, por todo canto. Aqui no Recife a gente corta de outro lugar, mas o São João vai ter”, garantiu o prefeito para uma plateia formada basicamente por artistas e representantes da cultura local.

Numa alusão às declarações do presidente Jair Bolsonaro, que defende a flexibilidade do porte de arma no Brasil, Geraldo Julio afirmou que a “arma do São João é o bacamarte. Arma aqui não. Não é a toa que o nome do nosso São João é Arraste o Pé na Paz. Se querem dividir (o Brasil) vão procurar outro lugar para dividir. Aqui não”, frisou o prefeito.

O socialista disse, ainda, que a prefeitura vai fazer um São João da paz por acreditar que o Brasil, na realidade, não precisa ser dividido entre o Brasil de cima e o debaixo. “Entre o Brasil dos ricos e o Brasil dos pobres. O Brasil do Norte e o Brasil do Sul. Queremos um só e o Brasil que luta para ajudar as pessoas que precisam e disso não vamos abrir mão”. Geraldo Julio acrescentou também que se “eles” (governo federal) for contra isso “vão encontrar aqui no Recife resistência. A palavra de ordem vai ser resistência. Aqui não comemoramos ditadura. Não comemoramos a tortura nem exílio nem censura. Aqui comemoramos democracia, liberdade e cultura. É com esse espírito que iremos comemorar essa festa”, ressaltou o socialista.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.