Lava-Jato Em meio a crise na Lava-Jato, Toffoli foge da imprensa e cancela coletiva

Por: Renato Souza - Correio Braziliense

Publicado em: 10/06/2019 10:21 Atualizado em:

Ministro participou de audiência pública no CNJ, em Brasília, e saiu às pressas do local. Foto: Ed Alves/CB/D.A Press - 26/12/18
Ministro participou de audiência pública no CNJ, em Brasília, e saiu às pressas do local. Foto: Ed Alves/CB/D.A Press - 26/12/18
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Dias Toffoli, cancelou uma coletiva de imprensa que faria, na manhã desta segunda-feira (10/6), em Brasília. Ele participou de abertura de uma audiência pública sobre as regras para concursos de juízes.

Após fazer o discurso de abertura, Toffoli saiu do local, às pressas, sem falar com os jornalistas. A conversa com a imprensa foi cancelada em meio a crise envolvendo a força-tarefa da Lava-Jato. 

Mensagens reveladas pelo portal The Intercept registram conversas não oficiais entre o ministro da Justiça, Sérgio Moro, o procurador da República, Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava-Jato no Paraná, além de outros integrantes do Ministério Público.
 
Em um grupo do Telegram, de acordo com a publicação, eles conversaram sobre processos, e Moro, quando era juíz responsável pelos casos da operação no Paraná, chegou até a indicar uma testemunha, e solicitar a troca de fases da operação.

Em nota, o ministro Sérgio Moro disse que as mensagens foram retiradas de contexto, e lamentou o fato de não ter sido procurado pelo veículo antes da publicação da reportagem. A força-tarefa da Lava-Jato disse que foi alvo de um "ataque criminoso", por parte de um hacker. 

Nas declarações, nem os integrantes da Lava-Jato nem moro negam a existência das mensagens. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.