líder do governo no congresso No Recife, deputada Joice Hasselmann ataca governadores

Por: Rosália Rangel - Diario de Pernambuco

Publicado em: 08/06/2019 10:41 Atualizado em:

Críticas da líder do governo no Congresso foram direcionadas aos governadores contrários à Reforma da Previdência. Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP (vCríticas da líder do governo no Congresso foram direcionadas aos governadores contrários à Reforma da Previdência. Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)
Críticas da líder do governo no Congresso foram direcionadas aos governadores contrários à Reforma da Previdência. Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP
Líder do governo Jair Bolsonaro no Congresso Nacional, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) criticou duramente a postura de governadores, principalmente os de oposição, que se posicionam contra a reforma da Previdência. A parlamentar, que cumpriu agenda nesta sexta-feira (7) no Recife, disse que os gestores estão usando um discurso “demagógico e hipócrita” para falar contra a proposta, mesmo sabendo que a reforma é necessária para o país e para seus respectivos estados.
 
A parlamentar não citou nenhum governador nominalmente. Em Pernambuco, por exemplo, Paulo Câmara já se posicionou a favor de uma reforma previdenciária, porém com mudanças em relação à proposta do governo. “Esses governadores (contrários à proposta) com o discurso hipócrita, precisam baixar a crista. Eles vão ter que desfazer todo trabalho que fizeram até agora. Um trabalho de destruição da nova previdência através de uma comunicação falsa”, disse a parlamentar.
 
A intenção dela é de montar um exército de apoiadores para defender a proposta junto à população, acrescentando que desde o início da caravana a aprovação popular, que era de 30%, passou para 60%. Os dados, conforme assegurou, são baseados em pesquisas feitas por institutos de opinião.
 
A deputada disse que os gestores de oposição fizeram “uma firula danada” em relação à nova previdência, criticando o governo federal e a proposta. “Acharam que iríamos resolver os problemas deles. Então, lavaram as mãos. Muito bonitinhos. Subiram em cima do muro e com o dedo em riste começaram a falar como se nos fôssemos obrigados a resolver o problema deles. Aí aconteceu efeito bumerangue”, frisou.
 
Na avaliação dela, foi de uma “estupidez acachapante” a postura dos oposicionistas porque, segundo ela, eles sabiam que a reforma era necessária e que, sem a nova previdência, os primeiros estados a quebrarem seriam os deles. “Mas, enquanto eles empurraram (o problema) pra gente, os deputados desses governadores se sentiram incomodados porque estavam sendo cobrados pelo discurso da oposição pelos eleitores”. Foi a partir daí, conforme lembrou, que os parlamentares fizeram um movimento no sentido de retirar da reforma estados e municípios.
 
“Os deputados se sentiram largados pelos governadores, que querem que os deputados resolvam o problema sozinhos e assumam um desgaste criado por esses governadores. Ninguém é bobo para fazer uma coisa dessa”, alertou Hasselmann. A deputada disse, ainda, que quando houve o movimento, os governadores oposicionistas viram que a água que estava na linha do pescoço subiu para linha do nariz. “Aí resolveram dar esse passinho atrás. Precisam
agora pedir para os seus deputados. Falar isso para o povo”.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.