governo bolsonaro Aprovação de Bolsonaro cai também entre parlamentares, indica pesquisa

Por: Fernando Jordão - Correio Braziliense

Publicado em: 09/04/2019 10:51 Atualizado em:

Segundo o levantamento, 55% dos deputados consideram que a relação da Câmara com o Planalto é ruim ou péssima. Foto: Brendan Smialowski/AFP
Segundo o levantamento, 55% dos deputados consideram que a relação da Câmara com o Planalto é ruim ou péssima. Foto: Brendan Smialowski/AFP
Pesquisa conduzida pela XP Investimentos, divulgada nesta terça-feira (9/4), mostra que a popularidade do presidente Jair Bolsonaro caiu também entre os deputados. Segundo o levantamento, 55% dos parlamentares consideram que a relação da Câmara com o Planalto é ruim ou péssima. Em fevereiro, o número era de 12%. Foram ouvidos 201 deputados, entre os dias 26 de março e 4 de abril.

Apenas 16% dos entrevistados consideram que o relacionamento é ótimo ou bom. Em fevereiro, eles eram 57%. Na pesquisa atual, outros 25% (ante 26% em fevereiro) avaliaram a relação como regular e 3% não sabem ou não responderam (contra 5% em fevereiro).

A avaliação é pessimista mesmo excluindo-se os parlamentares de partidos tidos como oposição ao governo — PT, PSB, PDT, PSOL, PCdoB e Rede. Sem eles, 44% consideram que a relação Câmara-Planalto é ruim ou péssima, enquanto 23% acham que é ótima ou boa. Outros 30% a consideram regular e 3% não sabem ou não responderam.

A percepção dos deputados é melhor em relação ao tratamento individual. Entre os parlamentares ouvidos, 34% avaliam que o contato pessoal com o presidente é ótimo ou bom, contra 30% que consideram ruim ou péssimo. Apesar disso, 37% dos ouvidos disseram que suas demandas têm sido mal ou muito mal atendidas pelo governo federal (incluindo agências, órgãos e ministérios), enquanto 23% consideram que o atendimento é bem ou muito bem feito. Outros 21% avaliaram que o atendimento é mais ou menos, 17% disseram não ter demandas e 1% não sabe ou não respondeu.

Previdência
A maioria dos parlamentares, contudo, mostrou-se favorável à reforma da Previdência. Entre os entrevistados, 76% avaliam ser necessário haver uma reforma, 20% não veem necessidade e 4% não sabe ou não respondeu. Considerando apenas a oposição, 57% não acreditam ser necessária uma mudança nas regras da Previdência e 43% avaliam que a reforma é, sim, necessária. Questionados sobre se acreditam que a PEC será aprovada em 2019, 52% responderam que sim, 37% que não e 11% não sabem ou não responderam.

Os deputados, porém, parecem discordar, em parte, do projeto apresentado. Apenas 7% concordam plenamente com a atual proposta, enquanto 42% acreditam que ela precisa de algumas alterações, 23% defendem muitas alterações e 25% discordam totalmente. Entre os pontos mais polêmicos, o mais rejeitado é o BPC, que precisa ser alterado para 76% dos entrevistados. Em seguida, aparecem a previdência do trabalhador rural (74%) e a previdência dos militares (69%).

Aprovação
A pesquisa da XP foi divulgada um dia depois de o Datafolha mostrar uma queda na popularidade do presidente diante da população geral. Segundo o instituto, o atual governo — que completa 100 dias nesta quarta-feira (10/4) — é ruim ou péssimo para 30% dos entrevistados, ótimo ou bom para 32% e regular para 33%. Outros 4% preferiram não opinar. Ainda conforme o Datafolha, Bolsonaro tem a pior avaliação para 100 dias de governo entre os presidentes eleitos desde a redemocratização. Collor era aprovado por 36%, Fernando Henrique Cardoso por 39%, Lula por 43% e Dilma por 47%.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.