pagamentos Prefeito de Camaragibe viaja para EUA mesmo atrasando salário

Por: Cláudia Eloi - Diario de Pernambuco

Publicado em: 23/03/2019 10:00 Atualizado em:

Foto: Reprodução/TV Globo
Foto: Reprodução/TV Globo
Médicos, enfermeiros, dentistas e técnicos de enfermagem do Programa de Saúde da Família (PSF), contratados pela Prefeitura de Camaragibe, reclamam que estão com salários atrasados há quase dois meses. Além da irregularidade no pagamento das equipes do PSF, os profissionais e pacientes vêm enfrentando um outro problema: a precária higienização nas unidades de saúde do município. Segundo denúncia dos servidores, a limpeza está sendo feita por meio de um “rodízio”, após a decisão do Poder Executivo de “enxugar” o número de auxiliares de serviços gerais. Enquanto isso, o prefeito Demóstenes Meira (PTB) está nos Estados Unidos com a sua noiva e secretária de Assistência Social, Taty Dantas, e o secretário de saúde e irmão do gestor, Davi Meira.

A assessoria de comunicação da Prefeitura de Camaragibe confirmou a viagem do prefeito ao exterior, mas disse não saber a data de seu retorno. Também não foi informado o motivo da viagem. Sobre o atraso de salários dos contratados, a assessoria explicou que somente fevereiro não foi quitado. Segundo os servidores, no entanto, a falta de regularidade no pagamento vem ocorrendo desde dezembro do ano passado. “Antes, recebíamos no final do mês, depois passou para o dia 10 e agora a prefeitura não informa qual a data do pagamento. Não recebemos fevereiro e março já está terminando sem nenhum aceno da gestão”, denunciou uma servidora do PSF, que não quis revelar o nome por medo de represálias.

O prefeito Demóstenes Meira e seus dois secretários viajaram dia 14 sem comunicar oficialmente à Câmara municipal. O regimento interno da Casa diz que o gestor deve pedir autorização se ficar ausente do município por mais de 15 dias ou se viajar para fora do país por mais de oito dias. Segundo o presidente da Câmara, Toninho Oliveira (PTB), o prefeito teria que retornar ao Brasil nesta sexta-feira para não ser acusado de crime de responsabilidade. “O prefeito viajou sem comunicar ou repassar o cargo para sua vice (Nadegi Queiroz, em rota de colisão com Meira). Ele pode ser punido com mais um pedido de impeachment”, diz Oliveira.

Em relação à limpeza das unidades de saúde do município, a higienização vem sendo feita de dois em dois dias, segundo os servidores. Em outras, o período é ainda maior, com a limpeza realizada de três em três dias. Para complicar ainda mais a situação, a Lei Orçamentária Anual (LOA), para o exercício de 2019, e o Plano Plurianual (PPA) de 2018 não foram aprovados pela Câmara de Vereadores até o momento. O orçamento do município deste ano é de cerca de R$ 334 milhões. Sem essa votação, o município está travado financeiramente.

De acordo com o secretário-geral do Conselho de Saúde de Camaragibe, Eduardo Santos, a cidade está em uma situação caótica. “A prefeitura alega que não paga porque os vereadores não votaram o PPA e nem o Orçamento. Em 37 anos de emancipação da cidade, isso nunca aconteceu. A situação está horrível, com obras paralisadas, salários atrasados, sem medicamentos e realização de exames nas unidades de saúde. Alguns médicos pediram demissão”, denunciou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.