eleições são paulo Ao lado da esposa, Dória grava vídeo desmentindo orgia com cinco mulheres Ele afirma que a gravação é uma 'produção grotesca de fake news' e que já pediu a um perito criminal que verificasse as imagens

Publicado em: 23/10/2018 17:57 Atualizado em: 23/10/2018 21:52

Foto: Reprodução/Twitter
Foto: Reprodução/Twitter
Após divulgar nota, na tarde desta terça-feira (23), negando participação no vídeo em que suspotamente aparece em orgia com cinco mulheres, o candidato ao governo de São Paulo, João Dória (PSDB) gravou vídeo desmentindo, mais uma vez, as imagens. 

No vídeo divulgado em sua conta oficial no Twitter, ele aparece junto à sua esposa e artista plástica Bia Dória, com quem é casado há 26 anos e tem três filhos. Ele afirma que a gravação é uma "produção grotesca de fake news" e que já pediu a um perito criminal que verificasse as imagens. 

Dória afirma, ainda, que também pediu medidas judiciais e criminais contra os autores do vídeo, o qual ele já havia dito se tratar de "montagem" e atribuído a divulgação ao seu adversário no segundo turno, Márcio França (PSB).

Ao final da gravação, Bia, apesar da expressão de vergonha que a acompanhou durante todo o vídeo, abraça o marido em apoio à sua declaração. 




Resposta do adversário
O candidato do PSDB também disse que lamenta que a campanha ao governo de São Paulo tenha chegado ao ponto de "ferir a sua família" e se desculpou com os eleitores. 

No Twitter, Márcio França já havia se manifestado, negando as acusações de Dória. "É lamentável q Dória nos faça essa acusação que chega a ser quase tão grave quanto a violência de que ele é vítima", escreveu o candidato. 

Entenda o caso
Um vídeo, onde um homem é filmado fazendo uma orgia com cinco mulheres, caiu nas redes sociais nesta terça-feira (23) e entrou nos Trend Topics do Twitter. O motivo do alarde seria o personagem principal da trama. Segundo os internautas, o homem seria o candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, João Doria. Por meio de nota, porém, o político nega que seja ele nas imagens e culpa o oponente na disputa eleitoral por estar disseminando uma mentira, com fins de denegrir a sua imagem. 

A filmagem, que mostra a suposta data de 11 de outubro deste ano, pouco após o fim do primeiro turno, foi divulgado pelo aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp, e compartilhado em outras redes sociais rapidamente. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.