• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Coluna Diario Político Candidatura da mãe do ex-governador Eduardo Campos ao Senado passa pela PEC das Bengalas Por Marisa Gibson

Publicado em: 24/03/2015 10:25 Atualizado em: 24/03/2015 11:32

Antes de ser ministra do TCU, Ana Arraes foi deputada federal por Pernambuco em duas ocasioes com expressivas votações. Foto: Carlos Moura/CB/D.A. Press
Antes de ser ministra do TCU, Ana Arraes foi deputada federal por Pernambuco em duas ocasioes com expressivas votações. Foto: Carlos Moura/CB/D.A. Press
Agenda e pesquisa

A presidente Dilma até que vem se esforçando para manter uma agenda positiva - amanhã, por exemplo, receberá os governadores do Nordeste, quando terá, mais uma vez, a oportunidade para ajustar seu discurso em relação ao seu próprio governo. O seu esforço, no entanto, não tem conseguido anular o mau humor que se instalou no Brasil. No resto do país, assim como no Nordeste, os desencontros entre as promessas de campanha e a realidade pós-eleitoral continuam ecoando enquanto os protestos  se refletem nas pesquisas de avaliação. O governo Dilma atingiu a pior avaliação positiva - 10,8% - medida pela pesquisa Confederação Nacional dos Transportes (CNT)/MDA, divulgada ontem. Em comparação aos 8% alcançados no segundo mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), até que não é tão ruim assim. Agora um percentual de 1,9 % de ótimo é pior do que qualquer avaliação negativa que chegou ao patamar dos 64,8%. É certo que a pesquisa foi realizada entre os dias 16 e 19 de março, quando muita gente ainda estava de panela na mão, esperando a presidente abrir a boca para protestar. Mas não há indícios de que o sentimento negativo que paira sobre o governo tenha melhorado. Embora haja especialistas apostando numa recuperação da presidente Dilma, cujo desempenho pessoal teve uma desaprovação de 77,7%, essa reabilitação vai ser lenta e demorada, como serão os resultados das medidas para o ajuste fiscal que ainda nem foram aprovadas. E até lá, a presidente continuará pagando duramente os seus pecados.

Paulo e Jarbas

Jarbas Vasconcelos marcou para o dia 18 de abril um almoço em homenagem ao governador Paulo Câmara. O cardápio terá um famoso cozido. A lista de convidados inclui secretários de estado e amigos do deputado federal do PMDB. Há dois anos, Jarbas ofereceu almoço semelhante ao então governador Eduardo Campos, selando definitivamente a reaproximação das duas “bandas” da Frente Popular.

PEC da Bengala...

A candidatura de Ana Arraes ao Senado, em 2018, também passa pela PEC da Bengala, aprovada em primeira votação na Câmara dos Deputados e que estendeu para 75 anos a idade para a aposentadoria nos tribunais federais.

...e o tribunal

Ministra do Tribunal de Contas da União, Ana Arraes completa 70 anos em 2017. Se a aprovação da PEC prevalecer – a segunda votação está na pauta desta  semana –, ela pode ficar no TCU mais cinco anos. Caso a proposta não seja aprovada, Ana terá que se aposentar em 2017. Aí a candidatura ao Senado poderá se concretizar.

Iluminação

A deputada Raquel Lyra (PSB) e o deputado Rogério Leão (PR), presidentes das Comissões de Justiça e de Negócios Municipais da Assembleia, respectivamente, coordenam amanhã audiência pública sobre a transferência de serviços de iluminação pública aos municípios. O encontro está incluído no  Congresso Pernambucano de Municípios, promovido pela Amupe.

Eles vão brigar…

Para quem acompanhou os olhares dos secretários Antônio Figueira (Casa Civil) e Danilo Cabral (Planejamento) durante a exposição sobre o FEM na abertura do congresso dos municípios, feita por Danilo, não tem dúvidas: “mais dia, menos dia, eles vão brigar”.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.