• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Presidente da República Denúncia do MPF contra Vaccari mostra que não há interferência do Planalto, diz Dilma

Por: AE

Publicado em: 16/03/2015 17:58 Atualizado em: 16/03/2015 18:08

Seriam "absolutamente infudadas" as especulações de interferência do Governo Federal no Ministério Público, segundo a presidente (Roberto Stuckert Filho/ PR)
Seriam "absolutamente infudadas" as especulações de interferência do Governo Federal no Ministério Público, segundo a presidente
Depois de o Ministério Público Federal (MPF) denunciar à Justiça o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, por crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, a presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (16), que essa denúncia mostra como é "absolutamente infundada" a especulação de possíveis interferências do Palácio do Planalto na atuação do Ministério Público.

Vaccari consta da lista de 21 alvos da nova denúncia da Procuradoria-Geral da República no âmbito da Lava Jato. É a primeira acusação formal contra Vaccari e também a primeira contra o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, preso nesta segunda-feira, no Rio, na décima fase da operação, batizada de "Que País é esse?".

"Esses acontecimentos mostram que todas as teorias a respeito de como é que o governo interferiu sobre o Ministério Público, ou sobre quem quer que seja, pra investigar ou fazer qualquer coisa com quem quer que seja, é absolutamente infundada", disse Dilma em entrevista concedida a jornalistas, depois de participar da solenidade de sanção do novo Código de Processo Civil.

"Se querem investigar, vão investigar. Quem for responsável, pagará pelo que fez. Só isso. Todo mundo tem o amplo direito de defesa, o que vale pra todo mundo vale pra todo mundo", prosseguiu a presidente.

Questionada pelo se os novos acontecimentos poderiam atrapalhar ainda mais a vida do governo e aumentar a insatisfação popular, Dilma respondeu: "Eu não acredito, não".

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.