LIVRE COMÉRCIO UE adverte que ainda 'há trabalho por fazer' em negociação com o Mercosul

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 07/06/2019 09:26 Atualizado em:

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
A União Europeia (UE) alertou nesta sexta-feira que "ainda há trabalho a ser feito" nas negociações comerciais com os países do Mercosul, um dia depois que os líderes da Argentina e do Brasil consideraram um acordo "iminente".

"A Comissão Europeia acolhe com satisfação e compartilha o compromisso político do Mercosul de levar as negociações comerciais a uma conclusão bem-sucedida", disse uma porta-voz da Comissão Europeia à AFP.

No entanto, a porta-voz da comunidade disse que "para que isso aconteça, ainda há trabalho a ser feito no nível técnico", apesar das recentes discussões "construtivas" em meados de maio em Buenos Aires.

A UE e os países do Mercosul - Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai - iniciaram suas negociações em 1999 com vistas a um acordo de livre comércio em ambos os lados do Atlântico, que foram suspensas entre 2004 e 2010.

Com a chegada de Donald Trump à Casa Branca em 2017, as discussões ganharam um novo impulso, desacelerado no final de 2018 pela incerteza ligada à eleição de Jair Bolsonaro como presidente do Brasil.

No entanto, a comissária europeia de Comércio, Cecilia Malmström, reiterou na quinta-feira que "nos últimos seis meses enormes progressos" foram feitos, mas que "ainda há coisas difíceis", especialmente na "agricultura".

"Mas estamos em constante contato com os negociadores do Mercosul, e não é impossível concluirmos isso antes que esta Comissão chegue ao fim", no final de outubro, acrescentou Malmström à rede de rádio europeia Euranet Plus.

Em Buenos Aires, onde se encontrou com seu colega argentino Mauricio Macri, Bolsonaro disse na quinta-feira que "a assinatura de um acordo entre o Mercosul e a UE é iminente". "Estamos muito perto de um acordo com a UE", garantiu seu colega.

A porta-voz da Comissão, uma instituição que negocia em nome dos 28 países europeus, assegurou que ambas as partes ainda estão em contato, embora nenhuma data tenha sido acordada para uma nova reunião.

Alguns dos obstáculos nos últimos meses de negociação foram as reivindicações europeias em assuntos como veículos ou autopeças, indicações geográficas, serviços marítimos e laticínios.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.