política Narendra Modi inicia segundo mandato à frente da Índia

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 30/05/2019 12:30 Atualizado em:

Foto: Money SHARMA / AFP
Foto: Money SHARMA / AFP
Narendra Modi foi empossado nesta quinta-feira (30) para um segundo mandato como primeiro-ministro da Índia, depois de seu triunfo eleitoral que consolidou o domínio dos nacionalistas hindus na democracia mais populosa do mundo.

"Eu, Narendra Damodardas Modi, juro em nome de Deus fidelidade e lealdade à Constituição da Índia como estabelecido por lei, que vou manter a soberania e a integridade da Índia", declarou em hindi diante de 8.000 pessoas em uma cerimônia formal no palácio presidencial em Nova Délhi.

O chefe de governo e seu Bharatiya Janata Party (BJP) conquistaram uma ampla maioria parlamentar após as eleições legislativas que duraram seis semanas. Os nacionalistas hindus alcançaram a maior pontuação de sua história e massacraram seu principal adversário, o histórico partido do Congresso.

Cerca de 50 líderes do BJP e seus aliados foram empossados como ministros e secretários de Estado seguindo Narendra Modi, cuja legislatura vai até 2024. As autoridades ainda não anunciaram a distribuição das pastas ministeriais.

O novo governo de Modi contará com Amit Shah, o poderoso braço direito do primeiro-ministro e até agora chefe do BJP, regente da vitoriosa campanha eleitoral.

Os pesos-pesados do BJP Rajnath Singh, Nitin Gadkari e Nirmala Sitharaman estão de volta à equipe. O ministro das Finanças, Arun Jaitley, pediu para não ser renomeado por razões de saúde.

Nova Délhi havia convidado os líderes e representantes do BIMSTEC, uma organização regional do Golfo de Bengala composta por sete países do sul e sudeste da Ásia (Índia, Bangladesh, Nepal, Butão, Sri Lanka, Mianmar, Tailândia), para participar da posse.

Os líderes do Congresso, Sonia e Rahul Gandhi, também estavam presentes na assembleia.

Narendra Modi, 68 anos, fez das eleições parlamentares um quase referendo sobre sua pessoa. Este carismático filho de um vendedor de chá de Gujarat (oeste) fez campanha com um discurso de segurança provocador e nacionalista, posicionando-se como um protetor do país e ignorando seu balanço econômico misto.

De estrelas de Bollywood a modestos vendedores ambulantes, passando por agricultores da planície do Ganges e magnatas bilionários, 67% dos 900 milhões de eleitores indianos votaram em abril-maio nas 17ª eleições legislativas desde a independência.

"Cada momento do meu tempo, cada parte do meu corpo, será dedicado ao povo deste país", disse Narendra Modi na noite de sua vitória.

Seu primeiro mandato como chefe dessa nação de 1,3 bilhão de pessoas foi marcado por uma tensão político-religiosa e uma polarização da sociedade.

O homem forte do país promete para este segundo mandato o advento de uma "nova Índia", nacionalista, de economia moderna e digital, que seria colocada entre as grandes potências do planeta.

A lista de desafios pela frente nos próximos cinco anos é considerável. Em particular, terá de enfrentar a baixa taxa de criação de emprego e acelerar o ritmo de crescimento, que está abaixo do potencial e das necessidades do gigante no sul da Ásia.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.