RESPONSABILIDADE SOCIAL Prada deixará de usar pele de animais em suas coleções

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 22/05/2019 12:02 Atualizado em:

Foto: Kazuhiro Nogi/AFP
Foto: Kazuhiro Nogi/AFP
A marca de luxo italiana Prada anunciou que não vai mais usar peles de animais em suas coleções e se une a uma longa lista de empresas que pararam de trabalhar com esse material - informou a casa de moda de Milão nesta quarta-feira (22).

Aplaudida pelas associações de defesa dos animais, Prada comunicou que não usará peles em sua coleção feminina para a próxima primavera/verão 2020.

A marca disse manter um "diálogo positivo" com a Fur Free Alliance (FFA), uma associação de mais de 50 organizações em defesa do bem-estar animal em mais de 40 países.

"Inovar e responsabilidade social fazem parte dos valores fundadores do Grupo Prada. A decisão de adotar uma política 'livre de peles' (...) é um passo importante", afirmou a diretora artística, Miuccia Prada.

"A investigação e o desenvolvimento de materiais inovadores permitirão à empresa explorar novas fronteiras em termos de criação, ao mesmo tempo em que satisfaz a demanda por produtos mais éticos", acrescentou.

As associações a favor do bem-estar e do tratamento ético dos animais acolheram bem a decisão.

O grupo Prada, que inclui as marcas Miu Miu, Car Shoe e Church's, "se une à lista cada vez maior de marcas que proíbem o uso de peles para responder aos pedidos de mudança dos consumidores", afirmou o presidente da FFA, Joh Vinding.

Com esta decisão, "um dos nomes mais importantes da moda está se tornando um líder da defesa do bem-estar dos animais e da inovação para as futuras gerações", comentou PJ Smith, da organização Sociedade Humana dos Estados Unidos.

Nos últimos anos, importantes marcas italianas, entre elas Armani, Gucci, Versace e Furla, a britânica Burberry e as americanas Donna Karan, DKNY e Michael Kors aderiram à campanha, assim como o francês Jean-Paul Gaultier.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.