Estratégia Regime chavista e opositores iniciam diálogo na Noruega

Por: FolhaPress - FolhaPress

Publicado em: 16/05/2019 22:02 Atualizado em:

Representantes do governo da Venezuela e da oposição viajaram à Noruega para discutir um possível acordo nesta semana, segundo integrantes dos dois lados.
"Sim, está havendo conversas entre o governo bolivariano e setores democráticos da oposição", disse Jorge Valero, embaixador da Venezuela na ONU, em Genebra.
"Infelizmente, há uma oposição que é belicista, terrorista e fascista. Simples marionetes do império dos EUA", prosseguiu Valero.

O líder opositor Juan Guaidó confirmou os encontros, mas disse que não se trata de uma negociação e sim de "um esforço de mediação".

A viagem sugere que os dois lados estão buscando uma nova abordagem depois de seguidos fracassos em dialogar e da tentativa frustrada de depor Maduro, em 30 de abril.

No entanto, ainda não houve reuniões entre os dois lados. Cada um deles conversou com diplomatas noruegueses de forma separada, segundo uma fonte ouvida pela agência Reuters.

De acordo com a TV norueguesa NRK, as negociações acontecem há vários dias em um local mantido sob sigilo, e devem terminar na quinta (16).

Do lado do governo estariam envolvidos o ministro da Comunicação, Jorge Rodríguez, e o governador do estado de Miranda, Héctor Rodríguez.

A oposição estaria representada pelo ex-deputado Gerardo Blyde, o ex-ministro Fernando Martínez Mottola e o segundo vice-presidente da Assembleia Nacional, Stalin González.

"Jorge Rodríguez está cumprindo uma missão no exterior muito importante", afirmou Maduro na quarta-feira (15), sem dar detalhes. O governo da Venezuela não respondeu aos pedidos de resposta enviados pelas agências.

"Não podemos confirmar nem desmentir o envolvimento norueguês em processos de paz ou iniciativas de diálogo", declarou à AFP Ane Lunde, porta-voz da diplomacia de Oslo.

Mais de 50 países reconheceram Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela, incluindo Brasil e Estados Unidos, mas a Noruega apenas fez um apelo pela organização de novas eleições -uma atitude compreendida por muitos como um sinal da vontade do país de atuar como intermediário entre o governo e a oposição.

A ministra das Relações Exteriores da Noruega, Ine Eriksen Søreide, afirmou no fim de janeiro que o país estava disposto a contribuir se as partes desejassem e quando elas considerassem conveniente.

O anúncio de diálogo entre as parte ocorre após duas semanas de tensões no país.
Após o movimento para depor Maduro liderado pelos opositores Leopoldo López e Guaidó fracassar, deputados da Assembleia Nacional, dominada pela oposição, denunciaram o recrudescimento da intimidação pelo regime.

Esta é a segunda vez que a capital da Noruega é sede de diálogos desse tipo, de acordo com a NRK, que também mencionou negociações já ocorridas em Cuba entre o governo de Nicolás Maduro e a oposição liderada por Juan Guaidó, mas sem revelar as datas.

Ainda nesta nesta quinta, a chanceler do Canadá, Chrystia Freeland, se reuniu em Havana com seu colega cubano, Bruno Rodriguez, buscando a mediação da ilha para a crise da Venezuela.

Segundo a chancelaria de Cuba, Rodríguez deixou claro que seu país "rejeita o uso ou a ameaça do uso da força, e a aplicação de medidas econômicas coercitivas unilaterais que provoquem danos humanitários".

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.