Investigação Comitê do Senado dos EUA convoca filho de Trump para depor

Publicado em: 08/05/2019 22:46 Atualizado em:

O comitê do Senado dos Estados Unidos sobre inteligência citou nesta quarta-feira (8) a declarar o filho mais velho do presidente Donald Trump, Donald Jr., dentro da investigação sobre a intervenção russa nas eleições de 2016, informaram os meios de comunicação.

É a primeira vez que um parente do presidente é intimado a depor numa "investigación en curso". Essa convocação chega após o procurador especial Robert Mueller se negar a acusar a equipe da campanha eleitoral de Trump nas eleições de 2016 de concluio com os russos para ser eleito.

A intimação foi feita por um comitê controlado pelos republicanos, uma nova fonte de conflito entre o Congresso e a Casa Branca, envolvidos em vários conflitos.

Donald Jr., de 41 anos, já testemunhou voluntariamente uma vez perante o comitê, numa audiência na qual abundaram as perguntas sobre a reunião que ele e outro integrante da campanha do atual presidente tiveram em 9 de junho de 2016 na Torre Trump de Nova York com uma advogada russa, na qual foi oferecido material sobre a então candidata democrata, Hillary Clinton.

O comitê também perguntou sobre seus contatos com Julian Assange, o fundador de WikiLeaks, que filtrou documentos e comunicações roubados por russos da campanha de Clinton.

Fontes do comitê não confirmaram a convocação ou o que querem saber sobre o filho mais velho do presidente, que atualmente ajuda a dirigir a Organização Trump, o império imobiliário da família, além de colaborar na campanha de reeleição de seu pai.

Citando uma pessoa próxima a Donald Jr., The Wall Street Journal disse que o filho de Trump havia se oferecido a responder as pereguntas por escrito do comitê, e planejava lutar contra a intimação que exige que testemunhe pessoalmente.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.