Aviso Maduro adverte sobre possível 'escalada militar' a partir da Colômbia

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 08/05/2019 22:38 Atualizado em:

Foto: Reprodução/Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)
Foto: Reprodução/Facebook
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, advertiu nesta quarta-feira (8) para uma possível "escalada militar" a partir da Colômbia, após denúncias do país vizinho sobre a presença de mil guerrilheiros do ELN no território venezuelano e de uma violação de sua soberania.

"Há uma escalada de declarações que pode terminar em uma escalada militar na fronteira entre estas forças criminais da Colômbia contra a Venezuela".

"Determinei a adoção de medidas especiais de precaução na fronteira. A todas as unidades militares da fronteira, alerta máximo", disse Maduro, sem especificar as providências.

De Bogotá "nos acusam [...] para justificar algum conflito militar, quando é o contrário: a Venezuela é que é atacada a partir da Colômbia".

"Tudo faz parte de um plano miserável de [presidente da Colômbia] Iván Duque, que levado pelo governo de Donald Trump coloca a Colômbia a serviço da agressão contra sua irmã Venezuela", declarou Maduro.

Nesta quarta-feira, o general Luis Fernando Navarro, comandante das Forças Militares da Colômbia, revelou que ao menos 1.100 membros da guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN), cerca de 45% dos combatentes desse grupo colombiano guevarista, estão refugiados na Venezuela.

Navarro garantiu que entre os rebeldes que se refugiam no país vizinho, com o qual a Colômbia compartilha uma porosa fronteira de 2.200 km, há membros do Comando Central (Coce), o órgão de comando do ELN e de seu Estado-Maior.

A chancelaria colombiana também denunciou nesta quarta-feira a incursão de 30 militares venezuelanos em seu território.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.