Pentágono EUA suspendem programa de devolução de restos de soldados mortos na guerra da Coreia

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 08/05/2019 14:36 Atualizado em: 08/05/2019 15:26

Foto: Ronen ZILBERMAN, Kat Wade / AFP
Foto: Ronen ZILBERMAN, Kat Wade / AFP
O Pentágono anunciou nesta quarta-feira (8) que suspendeu um esforço conjunto com a Coreia do Norte para recuperar os restos mortais de soldados americanos depois que Pyongyang deixou de se comunicar após a fracassada cúpula de Hanói.

O programa conseguiu fazer com que a Coreia do Norte entregasse os restos mortais de mais de 50 soldados mortos na Guerra da Coreia na década de 1950, em um sinal das boas relações entre Donald Trump e Kim Jong Un.

Mas as comunicações sobre o programa foram interrompidas depois que os dois líderes não conseguiram avançar nas conversas sobre o programa nuclear da Coreia do Norte em sua cúpula em Hanói, segundo Chuck Prichard, porta-voz da Agência de Contabilidade POW/MIA da Defesa (DPAA).

As autoridades norte-coreanas "não se comunicaram com a DPAA desde a cúpula de Hanói", disse Prichard em um comunicado.

"Como resultado, nossos esforços para estabelecer uma comunicação com o Exército Popular da Coreia com relação à possível retomada das operações conjuntas de recuperação até 2019 foram suspensos".

"Chegamos ao ponto em que não podemos mais planejar, coordenar e conduzir operações de campo" com a Coreia do Norte, disse ele. 

Em julho de 2018, Pyongyang entregou os restos mortais de mais de 50 militares americanos que se perderam no território norte-coreano durante a Guerra da Coreia, entre 1950 e 1953.

O retorno marcou o cumprimento parcial de um acordo alcançado entre Trump e Kim em sua cúpula em Singapura em junho de 2018.

Na época, a Casa Branca chamou de "um primeiro passo significativo" no processo de busca dos restos de aproximadamente 7.700 americanos considerados desaparecidos na guerra, dos quais 5.300 estariam perdidos na Coreia do Norte.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.