MOSCOU Investigação sobre acidente com avião russo privilegia erros de pilotagem

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 07/05/2019 10:53 Atualizado em: 07/05/2019 11:00

Foto: AFP
Foto: AFP
Vários erros de pilotagem estão sendo privilegiados pelos investigadores para explicar o pouso de emergência e o incêndio de um Sukhoi Superjet 100 da companhia russa Aeroflot no domingo em Moscou, que matou 41 pessoas - informou a imprensa russa nesta terça-feira (7).

"O primeiro erro dos pilotos foi decolar em meio a uma tempestade. Depois, enquanto a situação era complicada, mas longe de ser catastrófica, eles pousaram em vez de queimar o querosene", explica o jornal Kommersant, citando um fonte próxima à investigação.

Segundo o jornal, os pilotos "pousaram a uma velocidade muito alta (...) por esta razão, o contato das rodas com o concreto foi muito forte, fazendo o avião saltar".

Citando um membro do Comitê de Investigação russo, o jornal RBK informa que eles não desligaram os motores após o pouso. Segundo a mesma fonte, também abriram uma janela no cockpit após a aterrissagem, acelerando, assim, o incêndio.

Alguns minutos depois de decolar do aeroporto de Moscou-Sheremetyevo para Murmansk (norte), o Superjet 100 precisou retornar para um pouso de emergência, no qual a parte traseira do avião pegou fogo.

O piloto Denis Evdokimov explicou que o avião havia sido atingido por um raio, desativando o equipamento de auxílio de voo.

Dos 78 passageiros e tripulantes, 41 morreram. Ambos os pilotos sobreviveram, assim como a maioria dos passageiros na parte da frente da aeronave.

Em um comunicado, o aeroporto de Sheremetyevo anunciou que abriu uma investigação após a transmissão de um vídeo em que funcionários são ouvidos rindo, enquanto assistem ao acidente pelas telas de controle.

Eles "serão punidos da maneira mais severa possível", segundo Sheremetievo, que afirma que estas pessoas não são funcionários do aeroporto, ou da Aeroflot.

O estado de dez pessoas hospitalizadas após o acidente é estável, segundo o ministro da Saúde, Yevgeny Ditrikh, citado por agências russas.

O Superjet 100, a primeira aeronave civil projetada pela Rússia pós-soviética, foi motivo de orgulho para o país em seu lançamento em 2011, mas luta para convencer fora do mercado russo por questões de confiabilidade.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.