Investigação Justiça espanhola interroga acusado de tentar vender informação sobre Assange

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 03/05/2019 20:39 Atualizado em:

Foto: Youtube/Reprodução (Foto: Youtube/Reprodução)
Foto: Youtube/Reprodução
Um homem acusado de tentar vender informação privada do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, obtida aparentemente pelo circuito fechado de vigilância eletrônica da embaixada do Equador em Londres, foi interrogado em Madri - disse uma fonte judicial nesta sexta-feira (3) à AFP.

O jornalista é um dos vários espanhóis que garantiram ter vídeos e documentos pessoais de Assange quando estava na embaixada do Equador.

A fonte, que não quis ser identificada, disse que o homem foi detido, interrogado por um juiz em Madri e liberado na quarta-feira (1º).

O episódio está ligado à queixa apresentada à polícia pela editora do WikiLeaks Kristinn Hrafnsson. A fonte ouvida pela AFP não confirmou se houve outras detenções, conforme noticiado pela imprensa espanhola.

Os advogados de Assange entraram com uma ação na Espanha contra o jornalista e contra outras pessoas que teriam tentado extorquir o fundador do WikiLeaks. Segundo eles, Assange foi vítima de "espionagem" na embaixada.

Assange, de 47 anos, ficou sete anos asilado na embaixada do Equador em Londres para evitar uma extradição para a Suécia, onde era acusado de estupro. O australiano foi detido em 11 de abril, depois que o governo equatoriano pôs fim à proteção que lhe era dada.

Segundo a imprensa espanhola, os acusados conseguiram vídeos e documentos pessoais de Assange captados com um sistema de vigilância que incluiu as câmeras de segurança da embaixada.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.