Sanção EUA amplia restrições ao programa nuclear iraniano

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 03/05/2019 20:22 Atualizado em:

Os Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira (3) novas "restrições" ao programa nuclear civil do Irã, para aumentar sua pressão sobre o Irã, mas mantiveram as autorizações de três projetos em curso com base no acordo de 2015, denunciado pelo governo de Donald Trump.

"A partir de 4 de maio, qualquer ajuda para ampliar a central nuclear de Bouchehr além do reator existente", construído pela Rússia, poderá ser "objeto de sanções", disse a porta-voz do departamento de Estado Morgan Ortagus.

"Qualquer atividade para transferir urânio enriquecido em troca de urânio em estado natural" também poderá ser objeto de sanções, destaca a declaração, que pede a Teerã a suspensão do enriquecimento de urânio. 

Washington adverte finalmente que não tolerará que o Irã armazene água pesada produzida além dos limites autorizados.

Mas o chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, manteve o aval - por 90 dias - para três projetos em curso no setor civil iraniano sem objetivos militares: A central de Bouchehr, o reator de água pesada de Arak, que foi modificado sob a supervisão da comunidade internacional, e o sítio subterrâneo de enriquecimento de Fordo.

O governo Trump abandonou há um ano o acordo internacional firmado para impedir que a República Islâmica construa uma bomba atômica, argumentando que o pacto era demasiado permissivo e que não afetava os demais componentes "desestabilizadores" do Irã.

Mas os outros firmantes do acordo, fundamentalmente os países europeus aliados de Washington, afirmam que o Irã segue respeitando o tratado.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.