crise na venezuela 'Ajudamos a criar marcha irreversível da democracia na Venezuela', diz Araújo

Por: AE

Publicado em: 03/05/2019 14:03 Atualizado em:

Foto: José Cruz/Agência Brasil
Foto: José Cruz/Agência Brasil
Em discurso na cerimônia de formatura dos novos diplomatas do Instituto Rio Branco, o chanceler Ernesto Araújo falou nesta sexta-feira (3) sobre a crise na Venezuela. Araújo afirmou que o Brasil ajudou "de maneira decisiva a criar uma marcha irreversível de democracia na Venezuela". 

O chanceler também lamentou pessoas que, segundo ele, torcem a favor "da tirania e do cinismo" no país vizinho apenas por torcer contra o governo de Jair Bolsonaro, mencionando entre essas pessoas setores da imprensa.

Mortes 

Pelo menos cinco manifestantes morreram, três deles menores de idade, e 239 ficaram feridos durante os protestos na Venezuela após a revolta liderada pelo líder opositor Juan Guaidó, segundo números divulgados nesta sexta-feira em Genebra por uma porta-voz do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).

Entre as vítimas estão um adolescente de 15 anos morto no Estado de Mérida, dois jovens de 16 e 24 anos em Aragua e outros dois de 15 e 27 anos que faleceram após os protestos organizados no dia 1º de maio na praça de Altamira, em Caracas. (Com agências internacionais).


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.