Alerta Índia ordena evacuação de mais de 1 milhão de pessoas por ciclone

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 02/05/2019 21:31 Atualizado em:

Foto: DIBYANGSHU SARKAR / AFP  (Foto: DIBYANGSHU SARKAR / AFP )
Foto: DIBYANGSHU SARKAR / AFP
Autoridades ordenaram a evacuação de mais de 1 milhão de pessoas dos distritos litorâneos do leste da Índia diante da chegada prevista de um ciclone com ventos de 200 km/hora. Já o governo de Bangladesh colocou seu Exército em alerta e ordenou a evacuação de 19 distritos costeiros, onde mais de 4.000 abrigos foram abertos, segundo um funcionário do serviço de resgate, Mohammad Hashim.

O serviço meteorológico indiano anunciou que o furacão Fani chegará à terra firme na sexta-feira à tarde, perto da cidade sagrada indiana de Puri. Os principais aeroportos foram fechados nos estados de Odisha e Bengala Ocidental e quase nenhum trem circulou.

Um funcionário do governo estadual disse à AFP que cerca de 780.000 pessoas de pelo menos 13 distritos no estado de Odisha foram levadas para abrigos durante a noite. "Esperamos que mais de 1 milhão de pessoas deixem a área em perigo nas próximas 12 horas", disse Bishnupada Sethi, encarregado dos resgates em Odisha.

Centenas de milhares de pessoas também tiveram que evacuar algumas regiões de Bengala Ocidental. As autoridades capacitaram cerca de mil abrigos em escolas e agências oficiais para acomodar mais de 1 milhão de pessoas. O ciclone, que segundo as previsões será o mais forte a atingir o leste da Índia em duas décadas, estava se formando na Baía de Bengala, a cerca de 250 quilômetros da costa, e avançando lentamente, mas com força, para o oeste.

As previsões sugerem que a massa será acompanhada por ventos constantes de 180 a 190 km/h, com rajadas de até 200 km/h, equivalentes a um furacão da categoria 3 a 4. Espera-se que ele toque o solo perto da cidade sagrada hindu de Puri, um importante centro turístico que atrai milhões de visitantes indianos e estrangeiros a cada ano.

As autoridades pediram aos turistas que deixassem as áreas costeiras e evitassem viagens desnecessárias.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.