investigação Conversa sobre participação de García é divulgada

Por: AE

Publicado em: 25/04/2019 11:07 Atualizado em:

Foto: Cris BOURONCLE / AFP
Foto: Cris BOURONCLE / AFP
Um áudio divulgado ontem pela imprensa peruana pode levar a mais discussões sobre o nível de envolvimento do ex-presidente peruano Alan García, que se matou após receber ordem de prisão, no caso de corrupção envolvendo a Odebrecht. A conversa gravada ocorreu entre Erasmo Reyna, advogado do partido Apra, de García, e o ex-diretor da construtora brasileira Jorge Barata, que presta declarações sobre as acusações.

O diálogo entre os dois tratou justamente da morte de García e ocorreu, segundo a divulgação, na terça-feira após o depoimento de Barata, em Curitiba. Nele, Reyna aborda Barata e afirma que García tinha "muito respeito" pelo ex-diretor. "E eu para com ele. Respeito e admiração", respondeu Barata. 

Pouco depois, Reyna fala sobre a acusação de que García pediu dinheiro à Odebrecht para sua campanha em 2006. "Ele nunca lhe pediu nenhum favor. É uma vítima de tudo isso." Ao que Barata responde: "Eu sei".

Nos bastidores, a questão é a intenção da defesa em desvincular o nome de García dos casos de suborno da Odebrecht para financiamento de campanhas eleitorais. Barata afirmou, em dois dias de declarações a procuradores peruanos, que US$ 200 milhões foram dados ao partido do ex-presidente, sendo que parte foi entregue em um local de campanha do Apra. Ontem, Reyna foi impedido de presenciar as declarações.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.