conflito Ministro italiano volta a ser investigado por sequestro de migrantes

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 15/04/2019 12:00 Atualizado em:

Foto: Miguel MEDINA / AFP
Foto: Miguel MEDINA / AFP
O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, será objeto de uma nova investigação de sequestro, após a proibição do desembarque de migrantes, apesar do Senado ter bloqueado um caso anterior. "Sou objeto de uma nova investigação", anunciou o líder da extrema-direita italiana.

O caso faz referência aos 47 migrantes resgatados em 19 de janeiro na costa da Líbia por um barco da ONG alemã Sea Watch, que não conseguiram desembarcar em Catania, Sicília, até 31 de janeiro, após um acordo com outros sete países europeus.

Apesar das ameaças de detenção feitas por Salvini contra a tripulação, a Promotoria de Catania afirmou rapidamente que não observou nenhum delito.

Mas a Promotoria de Siracusa, porto siciliano onde o navio permaneceu de 24 a 30 de janeiro para evitar o tempo ruim, abriu uma investigação por sequestro e apontou o ministro como suspeito.

Salvini já foi objeto de ações judiciais por sequestro de pessoas por ter proibido durante vários dias, em agosto do ano passado, o desembarque de dezenas de migrantes em Catania.

Neste caso, o Senado bloqueou em março o processo, seguindo a prerrogativa que os parlamentares possuem quando consideram que um ministro atua dentro de suas funções.

"Não sei se devo rir ou não", declarou Salvini sobre a nova investigação. "Mas aos juízes que decidirão e a meus colegas ministros que duvidaram nas últimas horas repito que os portos italianos estão e permanecerão fechados", reiterou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.