Provocação Atentado no Afeganistão mata três militares americanos

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 08/04/2019 20:00 Atualizado em:

Três militares americanos e um funcionário terceirizado morreram nesta segunda-feira (8) em um atentado com carro-bomba nos arredores da Base Aérea de Bagram, no Afeganistão, informou a OTAN sobre a ação reivindicada pelos talibãs.

Segundo a Organização do Tratado do Atlântico Norte, "três militares americanos e um funcionário terceirizado morreram, e outros três militares americanos ficaram feridos por um dispositivo explosivo hoje, próximo à Base Aérea de Bagram".

Até o momento não foi revelada a identidade do funcionário terceirizado, que trabalhava para uma empresa contratada pelo Exército dos Estados Unidos. O atentado, reivindicado pelos talibãs, eleva a sete o número de soldados americanos mortos no Afeganistão desde o início do ano.

Segundo Salim Noori, porta-voz da polícia da província de Parwan, onde se encontra Bagram, 50 km ao norte de Cabul, a explosão ocorreu às 17H40 local (10H10 Brasília), na passagem de "um comboio de soldados da coalizão".

O governador do distrito de Bagram, Abdul Shakoor Quddusi, disse à AFP que o ataque foi dirigido a um "veículo blindado que transportava membros das forças estrangeiras", próximo à entrada da base, em uma zona de "isolamento".

Os talibãs reivindicaram o atentado no Twitter com seu porta-voz Zabihullah Muyahid, anunciando que "um comboio americano foi atacado por um carro-bomba no portão 3 da base aérea de Bagram", a maior dos Estados Unidos no Afeganistão. "Um veículo blindado foi destruído por completo e vários invasores morreram ou ficaram feridos".

Desde o final de 2001, quando a coalizão internacional decidiu tirar os talibãs do poder, 2.300 militares americanos morreram e ao menos 20.400 foram feridos.

 

O número de baixas entre as tropas americanas caiu drasticamente a partir de 2014, quando a missão de combate da Otan foi substituída pela missão "Apoio Decidido" (Resolute Support).

Os Estados Unidos chegaram a ter 100 mil soldados no Afeganistão, mas atualmente mantém cerca de 14 mil como parte da Resolute Support, que proporciona un importante apoio às tropas afegãs.

Em janeiro, o presidente afegão, Ashraf Ghani, revelou que 45 mil membros das forças de segurança do país morreram em combate desde setembro de 2014.

Desde meados do ano passado, Estados Unidos e os talibãs negociam para acabar com 17 anos de conflito.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.