terrorismo Reunião de ministros do G7 abordará retorno dos jihadistas

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 03/04/2019 10:39 Atualizado em:

Líderes estrangeiros durante Reunião dos Ministros da Coalizão Global contra o terrorismo. Foto: Saul Loeb/AFP
Líderes estrangeiros durante Reunião dos Ministros da Coalizão Global contra o terrorismo. Foto: Saul Loeb/AFP
A ameaça terrorista e a gestão do retorno dos jihadistas e suas famílias serão algumas das questões que os ministros do Interior do G7 abordarão em uma reunião de dois dias que começa na quinta-feira em Paris. 

A reunião ministerial ocorre antes de uma cúpula de chefes de Estado do G7, a ser realizada de 24 a 26 de agosto em Biarritz, no sudoeste da França, o país que assumiu a presidência do grupo este ano.

O ministro do Interior da França, Christophe Castaner, receberá seus colegas da Alemanha, Itália, Canadá, Estados Unidos, Japão e Grã-Bretanha com o objetivo de aprofundar a "coordenação e o intercâmbio de orientações e boas práticas" sobre temas já discutidos em outras reuniões, como o estado da ameaça terrorista ou o retorno a seus países dos jihadistas estrangeiros que estão na Síria e Iraque após a queda do último reduto do grupo Estado Islâmico, explicou o ministério francês.

Até agora, os membros do G7 não adotaram uma abordagem comum sobre a questão dos combatentes estrangeiros e seu possível retorno a seus países de origem. 

Os Estados Unidos defendem que cada país repatria e julgue seus jihadistas, enquanto países europeus como a França querem que sejam julgados na Síria ou no Iraque. 

Os ministros do G7 também tentarão coordenar suas posições na "luta contra o uso da Internet para fins terroristas ou extremismo violento".


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.