Turquia Erdogan cogita reconverter em mesquita a antiga basílica de Santa Sofia

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 24/03/2019 17:31 Atualizado em:

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, mencionou neste domingo a possibilidade de transformar a antiga Basílica de Santa Maria de Istambul, agora um museu, em uma mesquita depois das eleições de 31 de março. 

Quando perguntado, em uma entrevista na televisão, sobre a possibilidade de o museu se tornar gratuito, ele respondeu: "Não é impossível (...) Mas nós não faremos isso sob o nome de 'museu' mas de 'Mesquita Santa Sofia'". Seu comentário provocou surpresa na jornalista que lhe fez a pergunta no canal de TV TGRT Haber.

Importante obra arquitetônica construída no século VI na entrada do estreito de Bósforo e do Chifre de Ouro, Santa Sofia é regularmente alvo de controvérsia entre cristãos e muçulmanos.

Essa igreja, onde os imperadores bizantinos foram coroados, tornou-se uma mesquita no século XV, após a conquista de Constantinopla pelos otomanos, em 1453. Sob o regime secular de Mustafa Kemal Ataturk, já no século XX, foi convertido em museu, segundo a lei, para "oferecê-lo à humanidade".

"Os turistas vêm e vão à Mesquita Azul, eles pagam alguma coisa? (...) Bom, nós faremos o mesmo com a Hagia Sophia", disse o presidente Erdogan, em meio à campanha eleitoral de 31 de março disputada em várias cidades importantes, como Ancara e Istambul.

O status deste monumento, agora declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO e visitado por milhões de turistas todos os anos, continua a irritar os muçulmanos mais militantes na Turquia.

Desde a chegada ao poder de Erdogan, em 2003, atividades relacionadas ao Islã proliferaram na Hagia Sophia, incluindo sessões de leitura de versos do Alcorão ou orações coletivas em frente a ele.

A Grécia, que monitora de perto o futuro do patrimônio bizantino na Turquia, expressou repetidamente sua preocupação com iniciativas que questionam o status do monumento.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.