petróleo AIE corta previsão de avanço na demanda por petróleo em 2019 a 1 2 milhão de bpd

Por: Agência Estado

Publicado em: 14/06/2019 09:05 Atualizado em:

Reprodução/Pixabay
Reprodução/Pixabay
A desaceleração da economia global deverá levar a uma redução na demanda por petróleo em 2019, segundo relatório mensal divulgado pela Agência Internacional de Energia (AIE) nesta sexta-feira.

No documento, que é acompanhado de perto por investidores e analistas, a AIE cortou sua previsão de avanço na demanda global por petróleo pelo segundo mês consecutivo, de 1,3 milhão de barris por dia (bpd) a 1,2 milhão de bpd.

Depois de lidar com preocupações com a oferta nos últimos meses, o foco principal dos mercados agora é a "demanda por petróleo, à medida que o sentimento econômico se enfraquece", diz a AIE, citando o menor crescimento do comércio global em uma década, assim como um inverno menos frio do que o normal no Japão e o enfraquecimento da indústria de petroquímicos da Europa.

Embora a busca por petróleo esteja mais fraca, "atender o esperado aumento na demanda provavelmente não será um problema", afirma a AIE, destacando que os Estados Unidos deverão responder por 90% do acréscimo de 1,9 milhão de bpd na oferta fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) neste ano. Em 2020, a expectativa é que o avanço da oferta fora da Opep atinja 2,3 milhões de bpd.

Além da demanda incerta, "o crescimento implacável da oferta dos concorrentes" vai pesar quando a Opep e seus aliados se reunirem no fim deste mês, em Viena, para discutir a extensão dos atuais cortes em sua produção combinada, disse a AIE.

A Opep e dez países aliados que incluem a Rússia vêm restringindo sua oferta desde janeiro, numa tentativa de impulsionar as cotações do petróleo, e irão debater se devem manter a estratégia na segunda metade do ano.

Segundo a AIE, a Arábia Saudita reduziu sua produção em 110 mil bpd em maio, ajudando a derrubar a oferta da Opep ao menor nível desde 2014. Por outro lado, outro importante membro do cartel, o Iraque, ampliou sua produção em 130 mil bpd no mês passado.

No relatório, a AIE também aponta que o refino global está operando no menor nível em dois anos e estima que os estoques comerciais da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) tiveram aumento de 15,8 milhões de barris em abril.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.