Dieese Recife entre as quatro cidades brasileiras com alta no preço da cesta básica

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 06/06/2019 16:05 Atualizado em: 06/06/2019 16:14

Tomate foi o produto que apresentou maior alta, de 9,49%. Foto: IPA/Divulgação
Tomate foi o produto que apresentou maior alta, de 9,49%. Foto: IPA/Divulgação

Das 17 cidades analisadas na Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Dieese, o Recife foi uma das quatro que apresentaram alta no valor do conjunto de produtos essenciais em maio. A elevação na capital pernambucana foi de 0,20%, que representou R$ 0,82 no bolso, já que a cesta básica passou de R$ 417,03 para R$ 417,85. Ainda que a variação no mês não tenha sido tão significativa, ela ganha maior relevância quando analisa o acumulado dos cinco primeiros meses do ano. Neste período, o aumento foi de 22,69%, um incremento de R$ 77,28.

Levando em consideração os últimos 12 meses, o aumento é de R$ 81,49 (24,23%). Além disso, o custo da cesta básica em maio comprometeu 45,51% do salário mínimo líquido só com alimentação. O montante gasto na compra da Cesta Básica para uma família composta por dois adultos e duas crianças (que consomem o equivalente a um adulto) foi de R$ 1.253,55, o que correspondeu a 1,26 salários mínimos vigentes em maio de 2019.

Para comprar os produtos, a jornada de trabalho exigida foi de 92h07m em maio, contra 91h56m em abril, um saldo de 11 minutos a menos. Em relação a maio de 2018, o tempo necessário era de 77h34m, 14h33m a menos que o observado no mês passado.


Produtos
Apenas três dos 12 produtos da cesta básica tiveram alta em maio: o tomate (9,49%), o leite (4,76%) e a carne (2,83%). Em contrapartida, as maiores reduções foram verificadas para o feijão (23,06%) e a banana (4,22%). O arroz e a farinha de mandioca não apresentaram variação no mês em análise.

Levando em consideração os últimos 12 meses, houve alta do tomate (107,71%), do feijão (75,82%), do açúcar (11,98%), da manteiga (11,53%), do pão francês (9,84%), da carne (9,14%), da banana (7,82%), do leite (6,11%), do arroz (5,43%) e do óleo de soja (2,60%). Apenas a farinha de mandioca (28,72%) e o café (6,32%) apresentaram redução do preço médio em maio de 2019.

Nacional
Na análise nacional, 13 capitais apresentaram redução nos custos da cesta básica. As maiores quedas foram observadas em Campo Grande (-13,92%), Belo Horizonte (-7,02%), Goiânia (-4,48%) e Rio de Janeiro (-4,39%). Já em relação às variações positivas, além do Recife, também apresentaram alta Florianópolis (1,17%), Aracaju (0,86%) e Brasília (0,06%).

São Paulo foi a capital com a cesta básica mais cara, com R$ 507,07, seguida por Porto Alegre (R$ 496,13) e Rio de Janeiro (R$ 492,93). Os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 392,97) e João Pessoa (R$ 403,57).


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.