Pesquisa Preço da cesta básica tem alta de 4% em Jaboatão

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 31/05/2019 14:31 Atualizado em: 31/05/2019 14:36

O valor médio dos produtos ficou em R$ 209,47. Foto: AnnaclariceAlmeida/Arquivo DP
O valor médio dos produtos ficou em R$ 209,47. Foto: AnnaclariceAlmeida/Arquivo DP

O preço médio da cesta básica teve um aumento de 4% em Jaboatão dos Guararapes, segundo levantamento feito pelo Procon do município, no período de 22 a 25 de maio, quando comparado com a análise feita em abril. O valor médio ficou em R$ 209,47.

A alta no valor da cesta básica em relação ao mês de abril foi puxada, segundo a entidade, pelo incremento dos preços da margarina (62%), carne de segunda sem osso (27%), pão francês (26%), laranja (23%) e sabonete (22%). Quando a comparação é com maio de 2018, houve um aumento do preço médio constatado no mesmo período, chegando a 25,83%.

Variações

Na análise feita na semana passada, o sabão em pó de 500 gramas foi o produto que apresentou a maior variação de preço, de 470%, com valores entre R$ 1,05 e R$ 5,99. Outros itens que também tiveram grande diferença foram pacote com quatro unidades de papel higiênico, variando de R$ 1,52 e R$ 5,79 (280%); o alho, de R$ 11,99 e R$ 44,40 (270%) e a margarina, encontrada por R$ 1,29 até R$ 4,59 (255%).

Já o quilo da laranja, as diferenças no preço vão de R$ 1,69 a R$ 5,69. O pacote de 500 gramas do pão de forma variou de R$ 1,99 a R$ 6,39. Já os produtos que tiveram a menor variação de preços foram o açúcar cristal (12%), o óleo de soja (21%) e o frango resfriado inteiro (22%).

Segundo José Rangel, superintendente do Procon Jaboatão, é importante que os consumidores façam pesquisa de preços antes de comprar os itens necessários. "Conforme pesquisas realizadas mensalmente, percebemos que a cesta básica está mais cara para o consumidor. Nosso compromisso é alertar para a importância de visitar mais de um centro de compras em busca do menor preço, já que a variação do preço cobrado pelos estabelecimentos pode representar tanto um problema como um alívio para o bolso do cidadão", ressaltou.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.