posicionamento Para virar chave do PIB precisamos aprovar reforma, diz Joice Hasselmann

Por: Agência Brasil

Publicado em: 30/05/2019 14:28 Atualizado em:

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Líder do governo no Congresso, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL) afirmou nesta quinta-feira (30), ser "absolutamente compreensível" a queda de 0,2% no Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre, na comparação com o quarto trimestre de 2018, uma vez que a reforma da Previdência ainda não foi aprovada, avaliou. Joice defendeu que a "chave" do PIB irá "virar" assim que as novas regras da aposentadoria passarem no Congresso Nacional. 

"Isso deve acontecer aí até o final do semestre, e sabemos que para gerar emprego e ter investimento a gente tem que destravar o País e o primeiro passo é a nova Previdência, milagres não acontecem", afirmou Joice após café da manhã com o presidente Jair Bolsonaro junto da bancada feminina. 

Segundo ela, o assunto não foi tratado no encontro. "Só assim (com aprovação) os investimentos vão chegar no País, só assim a gente vai ter geração de emprego, se não é só chover no molhado" disse. 

Joice afirmou também que o "gabinete de inteligência" da Previdência no Congresso tem o mapeamento dos votos dos parlamentares, mas que não divulga esses números porque seria "amadorismo". "Só não estou contando para vocês porque eu acho um amadorismo monstruoso, a gente tem todo mapeamento, todo trabalho de inteligência está sendo feito pelo gabinete de inteligência", comentou a parlamentar, destacando que o momento é de não "errar" na "condução, nos discursos e nos acenos". 

A líder do governo afirmou ainda que a aprovação pela Câmara da Medida Provisória (MP) que busca coibir fraudes previdenciárias na noite de quarta é um "primeiro passo" que garante "musculatura" para o governo avançar com a reforma da Previdência. "Tenho conversado com relator diariamente, está tudo prontinho para apresentar o relatório nos próximos dias", completou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.