Turismo Anac aprova concessão da Air Europa para explorar voos domésticos

Por: Agência Brasil

Publicado em: 22/05/2019 19:38 Atualizado em:

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou hoje (23) em reunião extraordinária a concessão do serviço de transporte aéreo da Globalia Linhas Aéreas Ltda, grupo que administra a Air Europa. A entrada da empresa com 100% de capital estrangeiro no país foi anunciada pelo ministro da Infraestrutura, Tarcício Gomes de Freitas, no último sábado (18). 

Com a aprovação, a empresa é a primeira companhia aérea internacional em operação regular de passageiros no país.

De acordo com a Anac, a empresa agora poderá atuar também no mercado doméstico brasileiro. Hoje, a Air Europa opera em rotas internacionais, partindo e chegando no país, dos aeroportos de Salvador e Recife para Madrid.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, disse que a chegada da Air Europa no Brasil representa um marco para o turismo do país. "Tão ou mais importante que atrair turistas internacionais é estimular e criar condições para o próprio brasileiro viajar pelos destinos domésticos. No último ano, os brasileiros gastaram US$ 18,26 bilhões no exterior muito em função dos custos do turismo interno [o déficit na balança comercial é de US$ 6,2 bilhões]", disse. "Aumentar a conectividade e tornar os preços mais competitivos é fundamental para fomentar o turismo interno. Com apenas 12,4% de estradas pavimentadas e sem transporte estruturado de passageiros por ferrovias ou marítimo/fluvial, o único modal que pode promover a integração do país num curto espaço de tempo é o aéreo."

A aprovação ocorreu durante o período de vigência da Medida Provisória 863/19, que acaba com a limitação de 20% de capital estrangeiro em empresas aéreas. O texto, aprovado ontem (21) na Câmara dos Deputados, deve ser votado nesta quarta-feira no Senado. O dispositivo pode perder a validade caso não seja aprovado pela Casa. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.