reforma da previdência Apoio de governadores é integral, mas não há controle sobre bancadas, diz Ibaneis

Por: AE

Publicado em: 08/05/2019 14:01 Atualizado em:

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, afirmou nesta quarta-feira (8), que, apesar da maioria dos 27 governadores apoiar a aprovação da reforma da Previdência pelo Congresso, eles não têm o controle de suas bancadas na Câmara e no Senado. 

"O apoio dos governadores é praticamente integral, mas as eleições do ano passado manteve o país dividido, então a maioria dos governadores não têm controle de suas bancadas. O próprio governo federal também não tem", disse Rocha. 

Em encontro com governadores no período da manhã, o presidente Jair Bolsonaro pediu o apoio deles para viabilizar a aprovação da proposta no Congresso. 

Para o governador, a retirada do BPC e da aposentadoria rural do texto da reforma da Previdência fará com que ela avance mais rápido no Congresso. A mudança em relação aos dois pontos já é dada como certa na Comissão Especial que analisa a matéria e o próprio governo já admitiu a retirada deles da proposta original. "A reforma da Previdência tem que atender à população e não só à economia", disse. 

Ibaneis afirmou ainda que os governadores são favoráveis à pauta da reforma, mas querem que as questões relativas à Previdência dos Estados sejam incluídas na Constituição. 

Greves

Ibaneis criticou ainda as categorias de servidores que têm realizado greves no Distrito Federal. Para ele, as paralisações neste momento são uma "incompreensão" com a situação econômica do país e do DF e, por falta de recursos, tendem a "não dar em nada". "Não há como dar aumento de salários agora. Temos que segurar isso para não quebrar as empresas públicas porque isso agravaria situação dos servidores", disse. 

Desde o início da semana, os metroviários estão parados em Brasília. O serviço de metrô foi reduzido e a população enfrenta restrições no uso do transporte.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.