IMPOSTO Quase 14 milhões de contribuintes ainda não declararam o Imposto de Renda

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 22/04/2019 21:06 Atualizado em:

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
A apenas uma semana para o fim da entrega da declaração do Imposto de Renda, quase 14 milhões de contribuintes ainda não prestaram as contas com o Leão. Até ontem, a Receita Federal contabilizou mais de 16 milhões de declarações entregues. Para esse ano, ela espera cerca de 30,5 milhões de contribuintes.

De acordo com Joaquim Adir, supervisor nacional de Imposto de Renda, o número de declarações entregues até agora é bom e bem parecido com o do ano passado. “Ainda estamos dentro da meta. Está tudo certo, a princípio vamos atingi-la”, disse. Para ele, a demora do brasileiro em declarar é cultural. “Se pegarmos gráficos de cinco anos, vemos que o comportamento é o mesmo”, afirmou.

Para quem ainda não declarou, ele aconselha se apressar. “Está chegando a hora. Baixe o programa, veja a documentação e confira se tem alguma dúvida para ser esclarecida, alertou.

Para o contador Bruno Lopes Camargos, sócio do Camargos Contadores e Associados, no momento, o mais importante é separar todas as informações necessárias, como informes bancários, de rendimento, de saúde e de educação. “A pessoa precisa correr atrás de todas as despesas feitas em 2018 e recorrer às empresas pagadoras”, afirmou. Segundo Bruno, casoo contribuinte não consiga os documentos, o mais indicado é transmitir a declaração à Receita e depois completá-la por meio da declaração retificadora.

De acordo com Waldir Roit, contador sócio-diretor da Roit Consultoria e Contabilidade, quem entregar agora terá desvantagem no prazo de recebimento da restituição. “A restituição é entregue seguindo a fila de entrega a declaração do Imposto de Renda, logo, quem declarar agora receberá o dinheiro mais tarde”, afirmou.

Obrigatoriedade

Deve declarar quem teve rendimento superior a R$ 28.559,70 em 2018 e, até 31 de dezembro de 2018, tinha posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil. Contribuintes que receberam, no ano passado, rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil e quem fez operações em bolsas de valores também estão sujeitos à prestação de contas.

A declaração deve ser entregue baixando o programa no site da Receita federal, ou por meio do aplicativo “Meu imposto de Renda”. Para esse ano, é obrigatório o CPF de todos os dependentes e alimentandos e o declarante poderá saber após 24 horas da entrega da declaração se caiu ou não na malha fina. Quem não entregar a declaração do Imposto de Renda fica sujeito à multa de 1% ao mês ou fração de atraso sobre o valor do imposto devido. Já quem atrasar a entrega deverá pagar um valor mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% do valor do imposto.


TAGS: imposto ir,

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.