Teatro Luta quilombola é encenada no Recife para debater desigualdade social

Por: Juliana Aguiar - Diario de Pernambuco

Publicado em: 24/05/2019 11:00 Atualizado em: 24/05/2019 10:55

Foto: Kell Correia/Divulgação
Foto: Kell Correia/Divulgação

Um ambiente perfumado por uma mistura homogênea de alfazema, cachaça e canela, aliado aos sonoros instrumentos de sopro indígenas e um chão repleto de velas e folhas. A composição remete ao imaginário brasileiro dos terreiros de religiosidade afro-indígena brasileira e será o cenário para a estreia do espetáculo O mensageiro, nesta sexta e sábado (24 e 25 de maio), no Espaço Poste Soluções Luminosas, às 20h. O texto autoral é fruto de estudos recentes da linha do teatro antropológico, físico e capoeira Angola e aborda as temáticas da escravidão e religião na atualidade a partir da visão da atriz e dançarina Aline Gomes. 

Entre 1817 e 1830, por entre as matas de Abreu e Lima, em Pernambuco, o Quilombo do Catucá resistia aos trabalhos desumanos aos quais eram submetidos os escravos em engenhos da região. Juntos, os negros lutavam por liberdade. Entre si, os quilombolas se chamavam de “malunguinhos”, palavra do tronco linguístico kimbundo que remete a “companheiros de viagem da África”. A morte do último líder do quilombo, João Batista, marcou o fim do Catucá. A imagem e ensinamentos dele se tornaram guias espirituais nas posições de Mestre, Exu e Caboclo para a Jurema Sagrada, religião cultuada no Nordeste do Brasil. A história do mensageiro, que intitula a peça, surgiu para a atriz Aline Gomes no fim de 2015. Ela transformou suas inquietações, pesquisas e contato com o culto, em um espetáculo solo.

“Conheci o Malunguinho através das histórias da minha avó. E, de alguma forma, já me sentia ligada a ele e à sua história. Em tempos que se impera a intolerância, ele carrega a importância da resistência e da fé para a sobrevivência do povo negro”, conta Aline. A montagem, repleta de símbolos e discursos intensos, tem direção artística assinada pela professora Agrinez Melo e trilha sonora desenvolvida durante o espetáculo por Thúlio Xamba, do Grupo Bongar.


SERVIÇO
Espetáculo O Mensageiro
Dias: sexta e sábado, 24 e 25 de maio de 2019 às 20h
Onde: O Poste Soluções Luminosas (Rua da Aurora, 529, Boa Vista)
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.