Cinema Cine PE é adiado e terá filme sobre Frei Damião

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 16/05/2019 14:16 Atualizado em: 16/05/2019 16:47

Sandra Bertini, realizadora do festival. Foto: Peu Ricardo/DP
Sandra Bertini, realizadora do festival. Foto: Peu Ricardo/DP
O Cine PE - Festival do Audiovisual será realizado entre os dias 29 de julho a 4 de agosto no Cinema São Luiz, área central do Recife. As novidades da 23ª edição do Festival do Audiovisual foram divulgados na manhã desta quinta (16), no SinsPire (Praça do Arsenal). Previsto inicialmente para o mês de maio, o evento foi adiado devido às mudanças promovidas pelo governo federal na Lei Federal de Incentivo à Cultura. Os ingressos para as sessões serão gratuitos e poderão ser retirados, diariamente, a partir das 17h30, na bilheteria do cinema.

"O sistema da antiga Lei Rouanet ficou sem receber projetos culturais por cinco meses porque a lei estava sendo avaliada. As alterações trouxeram uma nova roupagem para os projetos, mas não impactaram o Festival, só foi preciso adiar o nosso início”. As informações foram divulgadas por Sandra Bertini, realizadora do evento. A abertura do Cine PE ficará com o longa Frei Damião o santo do Nordeste (PE), da diretora pernambucana Deby Brennand, que conta a história do frei italiano no nordeste brasileiro. Além do curta Parto sim! (PE), de Kátia Mesel, que aborda a situação das mulheres que vivem em Fernando de Noronha e precisam deixar a ilha aos sete meses de gestação para realizar o parto no Recife.

Frei Damião o santo do Nordeste. Foto: Machado Bitencourt/Divulgação
Frei Damião o santo do Nordeste. Foto: Machado Bitencourt/Divulgação

Esse ano, o festival recebeu a inscrição de 892 filmes, um número 77% maior em relação a 2018. Dos filmes selecionados, seis participarão da Mostra Competitiva de Longas-Metragens, são eles: Um e oitenta e seis avos (RJ) de Felipe Leibold; Abraço (BA), de DF Fiuza; e Teoria do ímpeto (DF), de Marcelo R. Faria e Rafael Moura, os três representantes da categoria ficção e Espero tua (re)volta (SP), de Eliza Capai; O corpo é nosso! (RJ), de Theresa Jessouroun; e Vidas descartáveis (RJ), Alexandre Valenti e Alberto Graça, são os documentários.

Foto: Parto Sim!/Divulgação
Foto: Parto Sim!/Divulgação

Sete títulos disputam a Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Pernambucanos e 19 produções representadas pelos estados: Maranhão, São Paulo, Pernambuco, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina compõem a Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Nacionais. A premiação de cada uma das categorias será realizado pelo Júri Oficial, cuja composição ainda não foi divulgada. O público poderá votar por meio do aplicativo oficial do festival. Para tornar a exibição acessível, todo os filmes selecionados possuem legendagem áudio-descritiva que atenda a portadores de necessidades especiais com deficiência auditiva.

O Troféu Calunga é oferecido aos vencedores das mostras competitivas de curtas e longas-metragens e aos homenageados de cada edição. O Canal Brasil também oferece uma premiação ao melhor filme de curta-metragem. A produção selecionada poderá ser exibida na grade de programação, receber R$ 15 mil e o Troféu Canal Brasil. As persoalidades que serão relembradas neste ano ainda não foram divulgadas, mas a expectativa é que a jornalista Graça Araújo, mestre de cerimônia das edições anteriores do Cine PE, seja contemplada. Com a ausência de Graça, que faleceu no ano passado, o festival será apresentado pela atriz Nínive Caldas. "Me senti muito bem recebida, não é fácil estar aqui após 22 anos liderados por Graça. Não tem como substituir, a posição pertence a ela, que sempre foi uma referência para mim e para todos nós. Estou entrando com o coração aberto e me sinto honrada. Estar nesse lugar, fazer com que o cinema continue é um presente pra mim e quero que seja maravilhoso", declara a atriz.

Mais uma vez, a curadoria foi assinada pela consultora e representante comercial da empresa CiaRio/Naymar, Edina Fujii (in memorian), o crítico e programador do circuito Cine Materna, Edu Fernandes, e o crítico de cinema Danilo Calazans. As escolhas foram baseadas em temas urgentes na pauta de discussões e na pluralidade de assuntos abordados nas produções. Edina participou da escolha dos filmes desde o início junto a Danilo e Edu, passando por cima de dificuldades impostas por sua condição física, e faleceu em 24 de abril deste ano, deixando a sua marca na escolha das produções.

Novidade nesta edição, o Concurso de Argumento beneficiará roteiristas de filmes curta metragem com bolsas na Escola de Roteirista Empreendedor (RWR) e apoio do Centro Técnico Audiovisual (CTAV-SAV). As inscrições podem ser feitas até o dia 5 de julho no site do Festival. O Cine PE oferecerá também o workshop Formas Alternativas de Monetização de Curtas, ministrado pelo consultor de roteiro e escritor Bill Labonia. "A nossa missão é desenvolver cada vez mais o cinema pernambucano e fomentar o mercado audiovisual”, afirma Bill. As demais atividades que irão compor a programação ainda estão sendo desenhadas.

Os alunos das escolas públicas municipais e estaduais terão, mais uma vez, espaço na programação do festival com a Mostra Infantil. As sessões especiais serão exibidas, fora de competição, antes mesmo da abertura oficial do festival, nas manhãs dos dias 30 e 31 de maio, no Cinema São Luiz. Os filmes foram Detetives do Prédio Azul 2 - O mistério italiano, de Vivianne Jundi, e Meus 15 anos, de Caroline Fioratti.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.