REFORMA DA PREVIDÊNCIA As paralisações da greve geral pelo Brasil

Por: FolhaPress - FolhaPress

Publicado em: 14/06/2019 09:32 Atualizado em:

Foto: Reprodução/Twitter/CUT
Foto: Reprodução/Twitter/CUT

Convocada pelas centrais sindicais no dia 1º de maio, a greve geral contra a reforma da Previdência é de âmbito nacional e tem como alvo o projeto de mudanças das aposentadorias apresentado pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Em São Paulo, as linhas 1, 2 e 3 do Metrô deverão ser as mais afetadas Já as linhas 4 e 5, administradas por concessionárias, afirmaram que suas operações funcionarão normalmente. Os trens da CPTM também terão operação normal. No Rio de Janeiro, a expectativa é que a greve não atinja tanto os serviços de transporte.

Movimentos sociais que integram a Frente Povo Sem Medo planejam obstruir o tráfego de veículos em rodovias estaduais e federais e em grandes avenidas de capitais em ao menos nove estados.

A estimativa é que todos os 21 mil ônibus não operem em Salvador. Bancários também confirmaram que vão cruzar os braços.

 

Bahia

 

A frota de 2,7 mil ônibus que fazem linhas urbanas em Salvador, capital baiana, está parada nesta sexta-feira (14). Os rodoviários aderiram à greve e estão reunidos nas garagens, de onde devem sair para participar de manifestações que acontecem em vários pontos da cidade.

"Vamos nos manter parados durante todo o dia. Só voltamos ao trabalho amanhã", afirma Walter Freira, secretário-geral do sindicato dos Rodoviários.

Por outro lado, o metrô segue em funcionamento na capital baiana. A concessinária CCR Metrô Bahia informou que iniciou suas atividades às 5h e tem cinco trens circulando na Linha 1 e nove trens na Linha 2, conforme programação habitual em dias úteis.

"A concessionária informa ainda que 100% dos seus colaboradores estão trabalhando demonstrando, uma vez mais, seu compromisso com a população e com a mobilidade urbana", informou a CCR. 

 
São Paulo

Manifestantes bloquearam a rodovia que dá acesso ao aeroporto de Guarulhos para passageiros que saem da cidade de São Paulo.

A interrupção, na faixa da direita e acostamento, foi feita pela organização Povo Sem Medo na rodovia Helio Smidt (SP 019), no sentido norte, na altura do quilômetro 2,4, que fica na altura do parque Cecap.

O movimento, que segundo a polícia tem cerca de 100 manifestantes, está sendo feito em apoio à greve geral convocada para hoje por sindicatos e movimentos sociais.

 

Rio de Janeiro

Pequenas manifestações causam trânsito acima do normal no centro do Rio de Janeiro e em Niterói na manhã desta sexta-feira (14). No geral, porém, o congestionamento na cidade (43 km) é menor que a média das últimas semanas para o dia e o horário (71 km).

Na avenida Brasil, na região central, policiais militares chegaram a soltar algumas bombas de efeito moral para evitar o bloqueio da via e dispersar um grupo que não seguiu o caminho combinado e começou caminhar em direção à rodoviária, mas a situação se normalizou minutos depois.

Outro grupo que ocupa a avenida Marquês do Paraná, importante via de Niterói, causa lentidão no acesso à ponte Rio-Niterói e ao longo de toda a via, fazendo a travessia para a capital fluminense demorar cerca de uma hora. A Linha Vermelha, que liga a zona norte ao centro do Rio, também tem trânsito.

Já os serviços de ônibus, BRT (faixa exclusiva para ônibus), barca, metrô, VLT e trens funcionam normalmente, segundo as concessionárias e o sindicato das empresas de ônibus.

Também têm paralisações escolas públicas, como o colégio federal Pedro 2º, e universidades, como a UFRJ (federal) e a Uerj (estadual). Os manifestantes devem se concentrar a partir das 15h em frente à Igreja da Candelária, mesmo local dos atos nos dias 15 e 30 de maio, também contra cortes na educação. 

 

 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.