Acusado de matar Marielle Franco presta depoimento nesta sexta-feira

Por: AE

Publicado em: 07/06/2019 15:50 Atualizado em:

Lessa (dir.) foi preso em 12 março deste ano. No mesmo dia, foi preso também o ex-PM Élcio Queiroz (esq.) - Foto: AFP
Lessa (dir.) foi preso em 12 março deste ano. No mesmo dia, foi preso também o ex-PM Élcio Queiroz (esq.) - Foto: AFP
Preso desde março sob a acusação de ser o executor da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, o PM reformado Ronnie Lessa presta depoimento, nesta sexta-feira (7), sobre o crime. Ele está preso em um presídio de segurança máxima em Mossoró, no Rio Grande do Norte, e falará por meio de videoconferência, a exemplo do que ocorreu no dia anterior.

Na quinta-feira (6), o PM reformado foi ouvido numa audiência do inquérito sobre os 117 fuzis desmontados encontrados na casa do amigo de Lessa, Alexandre Mota de Souza. A prisão deste foi revogada depois do depoimento de Lessa.

Policiais que fizeram a apreensão das armas disseram que Souza apontou o local onde estavam as caixas lacradas deixadas por Lessa no apartamento do amigo. E que se mostrou surpreso e desesperado quando viu o que havia dentro delas. Lessa, por sua vez, confirmou que Souza não sabia o que havia nas caixas, mas garantiu que as peças são de armas de pressão, usadas no jogo airsoft.

Lessa foi preso em 12 março deste ano - praticamente um ano depois do assassinato de Marielle e Anderson. No mesmo dia, foi preso também o ex-PM Élcio Queiroz, que teria dirigido o carro usado no crime. Nas buscas que se seguiram em endereços relacionados ao PM reformado, a polícia encontrou os componentes de fuzil no apartamento de Souza. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.