Declaração Me senti muito amado, afirma Neymar na saída da delegacia

Por: FolhaPress - FolhaPress

Publicado em: 06/06/2019 22:39 Atualizado em:

Foto: Frank Fife/AFP (Foto: Frank Fife/AFP)
Foto: Frank Fife/AFP
Após depoimento que durou cerca de 1h40 na Cidade da Polícia, na zona norte do Rio, Neymar falou nesta quinta-feira (6) pela primeira vez à imprensa sobre a acusação de estupro feito pela modelo Najila Trindade Mendes de Souza. Mas disse pouco.

"Quero agradecer as mensagens que recebi dos fãs, dos meus amigos e de todos. Me senti muito amado. Só [quero] agradecer o carinho de todos", disse o jogador, antes de entrar no carro e ir embora.

Ele se referia às manifestações dos torcedores em Brasília antes do amistoso da seleção brasileira com o Qatar na última quarta (5). O atacante se contundiu ainda no primeiro tempo e foi cortado da delegação que vai jogar a Copa América.

Cerca de de 50 menores moradores da favela de Jacarezinho, nos arredores da delegacia, estavam à frente do local gritando mensagens de apoio a Neymar. Em algumas delas, os jovens berravam que o atleta é inocente.

"Meu cliente é inocente. Ele está absolutamente tranquilo. É a tranquilidade dos inocentes", disse na saída da delegacia a advogada Maíra Fernandes, uma das encarregadas da defesa do jogador, completando em seguida não poder comentar nada sobre o depoimento porque os autos do processo são sigilosos.

Neymar prestou depoimento sobre o suposto crime de divulgar, no último sábado (1º), em seu perfil no Instagram, uma gravação com diversas imagens íntimas de Najila Trindade. Pouco depois a própria rede social tirou a postagem do ar.
Neymar chegou em sua mansão em Mangaratiba, litoral fluminense, no início da tarde desta quinta e voltou para o local após o depoimento. 

Ele chegou em uma van, de onde saiu com proteção no tornozelo lesionado e usando muletas. Logo depois, cercado por cinegrafistas e repórteres, ele foi colocado em uma cadeira de rodas. Na saída, estava mancando.

Os quase 100 jornalistas que esperavam o jogador quase quebraram a porta da delegacia e tumultuaram a chegada e saída do jogador. O carro da polícia teve que entrar no DP para facilitar a retirada do atacante. 

Neymar ainda terá de depor na investigação do estupro, que acontece em São Paulo. Segundo sua advogada, não há data ainda para isso acontecer.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.