saúde Ibaneis sugere busca ativa de cidadãos que não se vacinaram contra a gripe

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 04/06/2019 16:13 Atualizado em:

Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Com a adesão abaixo do esperado à campanha de vacinação contra a gripe, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou que a busca ativa de cidadãos que não tomaram a dose da imunização pode ser considerada. "Uma alternativa é levantar o número de pessoas que não se vacinaram e ir aos bairros para tentar aplicar a vacina. É uma forma de diminuir a quantidade de doenças que sobrecarrega a rede pública de saúde", defendeu.

Na segunda-feira (3), a Secretaria de Saúde liberou a vacinação contra o vírus influenza para toda a população. No DF, 77% do público-alvo se vacinou - a meta era imuzinar 778.627 pessoas, o que equivale a 90%. As doses restantes da campanha nacional de imunização, até então aplicadas apenas a esses grupos prioritários, estão sendo ofertadas nas unidades básicas de saúde de todas as regiões do Distrito Federal.

O governador reconheceu que há falhas, mas frisou que a falta de vacinação é um caso de saúde pública. "Admito que algumas vezes falta uma vacina ou outra em algum posto, mas ela chega em pouquíssimo tempo. Estamos prevendo, em alguns meses, o agendamento prévio, para que possamos saber quantas pessoas vão se vacinar no dia seguinte. Os brasilienses não podem se afastar disso, porque pode levar doença para outras pessoas. É um caso de saúde pública", afirmou.

Em relação à epidemia de dengue pela qual passa o Distrito Federal, o governador criticou a quantidade de lixo depositado nas ruas. "A sujeira é uma coisa absurda. As pessoas depositam lixo em locais a que nem o SLU tem acesso. A dengue também vem de uma falta de cultura, de não jogar o lixo no chão", comentou Ibaneis.

Para o governador, sociedade e governo são responsáveis. "A sociedade também tem sua responsabilidade e precisamos assumir em parceria."


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.