procurado Aplicativo oferece recompensa de R$ 20 mil por cachorro desaparecido em BH

Por: Estado de Minas

Publicado em: 28/05/2019 08:59 Atualizado em:

Bento estava sob cuidados de anfitrião do aplicativo quando fugiu. Foto: Vitor Primo/Divulgação
Bento estava sob cuidados de anfitrião do aplicativo quando fugiu. Foto: Vitor Primo/Divulgação
Procura-se Bento. E quem encontrá-lo, terá em mãos R$ 20 mil. Parece coisa de bilhete premiado. Quase isso. Bento é um cachorro da raça chow chow que desapareceu no Bairro Castelo, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte, na manhã de sexta-feira. A recompensa é oferecida pela empresa dona do DogHero, aplicativo de hospedagem de cães por famílias anfitriãs, que vai bancar metade do “prêmio”. A outra parte será paga por um patrocinador. O animal pertence a um engenheiro civil que, na quinta-feira, viajou com a família para Portugal e não tinha com quem deixá-lo.

Até o fim da tarde de ontem, já havia mais de 1,5 mil compartilhamentos do anúncio do “Procura-se Bento” no Facebook. Segundo a empresa dona do aplicativo, a recompensa havia chegado ao conhecimento de mais de 170 mil moradores da região onde o cachorro desapareceu. 

O DogHero informou que foi montada uma verdadeira operação para tentar encontrar Bento, incluindo até a contratação de serviços de drone para as buscas em uma mata e em um córrego situados perto da área onde o animal sumiu. Também foi contratado, em firma especializada de São Paulo, serviço de buscas com cão farejador, que será iniciado hoje. 

A empresa proprietária do aplicativo informa, que, além da veiculação nas redes sociais, o anúncio da recompensa está sendo por meio de 12 mil panfletos (“flyers”) distribuídos junto ao comércio e ambulantes e colado em locais estratégicos da região do Bairro Castelo, onde, desde a manhã de sábado, também é feita a divulgação por meio de um carro de som. A busca está sendo divulgada ainda entre grupos de motoristas de aplicativos e taxistas.

Há ainda a preocupação de evitar que o chow chow seja vendido ilegalmente. “Estamos monitorando sites de compras e venda – OLX, Mercado Livre, etc –, pois sabemos que há risco de tentarem vender Bento”, informou a DogHero.

Proprietário de Bento, o engenheiro civil Vitor Primo, reconheceu que o valor da recompensa vai contribuir para despertar mais interesse pela procura do cachorro. “R$ 20 mil é muito dinheiro. Acreditamos que as pessoas vão querer buscar e encontrar o Bento por isso”, disse. Questionado se Bento vale essa quantia, ele enfatizou que, pelo lado afetivo, o animal de estimação não tem preço. “Ele tem um valor sentimental que não sei especificar”, frisou.

Vitor Primo relatou que estava com viagem programada com a família para Portugal. Como não tinha com quem deixar Bento, decidiu recorrer ao aplicativo DogHero, divulgado pela internet. “Eles dizem ser especialistas no assunto”, disse o engenheiro, justificando por que procurou o serviço. 

O sistema funciona da seguinte forma: o dono do animal procura no site as pessoas que se cadastram como anfitriões para hospedar pets por um período curto (de uma viagem, por exemplo), informando a data em que vai necessitar do serviço. Quando encontra o anfitrião que considera ideal, o proprietário marca encontro para conhecer o local e conferir as condições oferecidas para hospedagem.

Em mensagem divulgada em um grupo de WhatsApp, o morador do Bairro Castelo que ficou responsável por hospedar Bento disse que enquanto ele abria a garagem de casa, o cachorro pulou uma janela, rompeu uma tela e saiu correndo pela rua. Ele afirma que perseguiu o animal na tentativa de recapturá-lo, mas Bento acabou fugindo para área perto de um córrego e de um shopping.

O DogHero informou que desde a manhã de sábado uma especialista da empresa está investigando o caso e “checando as pistas pessoalmente”. A dona do aplicativo também revelou que, por ora, suspendeu o cadastro do anfitrião envolvido.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.