violência Vítima de feminicídio carregava medidas protetivas no bolso quando morreu

Por: Correio Braziliense

Por: Sarah Peres

Publicado em: 07/05/2019 19:29 Atualizado em:

Foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press
Foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press
Antes de ser assassinada a facadas pelo ex-companheiro, Jacqueline Pereira dos Santos, 37 anos, mandou mensagem por áudio a uma colega mostrando que temia pela própria vida. O motoboy Maciel Luiz Coutinho da Silva, 38, matou a ex-mulher em Santa Maria, no Distrito Federal, dentro da casa dela, na tarde dessa segunda-feira (6). 

A mensagem, enviada por um aplicativo de celular, foi encaminhada momentos antes de a vítima sair do trabalho e ir para casa. Ao chegar na residência, ela foi atingida pelas facadas. No bolso traseiro da calça dela, estavam as medidas protetivas contra o agressor.  

Ela chegou a registrar ao menos duas ocorrências de violações à Lei Maria da Penha contra o ex-marido. A Justiça concedeu duas medidas protetivas em favor da vítima. Segundo informações da Polícia Civil, ele não aceitava o término do relacionamento.  

Maciel pulou o muro da casa de Jacqueline, a matou e fugiu com uma motocicleta. Ele seguiu pela BR-040 até a altura de Luziânia (GO), tirou o capacete e se jogou em frente a um ônibus. O homem não resistiu aos ferimentos e morreu no lugar. O caso é investigado pelas polícias civis de Goiás e do Distrito Federal. 
 
Troca de mensagens 
Na sexta-feira (3), Maciel foi orientado quanto às regras da medida protetiva. Ele mandou mensagem à ex-companheira, dizendo que ela estaria certa e que ele não conseguia aceitar a distância entre eles, mas que tentaria se afastar. "Eu preciso me acostumar a viver sem você", disse na conversa com a vítima.  

Na mensagem de áudio, com duração de mais 10 minutos, Maciel ainda pediu desculpas à ex-companheira e disse que a perdoava por ter ido à delegacia pedir medidas protetivas. Ele também reconheceu estar errado por causa das ameaças anteriores e disse que não queria mais fazê-la sofrer.  


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.