spfw Modelo que morreu durante desfile da SPFW tinha sido aceito por agência de Milão

Por: Guilherme Paranaiba -

Por: Larissa Ricci -

Publicado em: 29/04/2019 08:37 Atualizado em:

Tales Cotta em foto de seu portfólio: tia e mãe garantem que ele havia comido antes do desfile em São Paulo e que não tinha epilepsia. Foto: Vinicius Ziehe/Divulgação
Tales Cotta em foto de seu portfólio: tia e mãe garantem que ele havia comido antes do desfile em São Paulo e que não tinha epilepsia. Foto: Vinicius Ziehe/Divulgação
Será enterrado às 17h de hoje o corpo do modelo mineiro Tales Cotta, de 25 anos, que morreu no sábado durante os desfiles da São Paulo Fashion Week, maior evento de moda do Brasil. Tales teve um mal súbito na passarela enquanto desfilava para a grife Ocksa. Ele ainda foi encaminhado para um hospital de São Paulo, mas teve a morte confirmada na unidade de saúde. O corpo dele é velado desde o início da manhã em Manhuaçu, cidade da Zona da Mata onde ele nasceu. 

As causas da morte dependem de exame de necropsia no corpo do mineiro, que era formado em educação física pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). O jovem tinha o sonho de estabelecer uma carreira na moda fora do Brasil, segundo familiares, e estava perto de concretizar essa meta. Segundo a agência Base MGT, à qual ele era vinculado, Tales viajaria em junho para Milão. Parentes rechaçaram a informação de que uma possível falta de alimentação poderia ter contribuído para a morte. A própria mãe de Tales conversou com o modelo momentos antes do desfile e ouviu do filho que ele tinha se alimentado e havia comida farta no backstage.Continua depois da publicidade

Segundo a tia de Tales, Simone Cotta Gomes, o enterro será no Cemitério Municipal de Manhuaçu. “O Tales estava havia mais de um ano em São Paulo. Ele ficou uma temporada aqui em Manhuaçu, fez trabalhos em Vitória e se mudou para SP. Já desfilava na São Paulo Fashion Week pelo segundo ano e ontem era o segundo dia dele de desfiles”, diz Simone. Segundo ela, o mineiro de Manhuaçu sonhava em seguir carreira fora do Brasil. “O sonho dele era a carreira internacional. Ele queria ir para fora. O Tales era um menino de ouro, espetacular. Trazia alegria para todo mundo, além de ser muito humilde”, afirma Simone.

A tia do jovem de 25 anos, que completaria 26 em julho, diz que ainda não existe nenhuma informação que possa explicar o que causou o mal súbito. “O que é importante dizer neste momento é que a gente está vendo alguns veículos divulgarem que ele poderia estar com fome, por não ter comido antes do desfile. Mas isso é boato. Minutos antes de entrar na passarela ele conversou com minha irmã e disse para ela que tinha comido normalmente”, afirma Simone. A própria mãe de Tales, Heloisa Cotta, publicou um relato no Facebook sobre esse assunto. “O Tales Cotta não estava sem se alimentar, porque eu como mãe sempre me preocupei com a saúde dele e ele também. Poucos minutos antes do desfile lhe perguntei se havia se alimentado e ele me respondeu que tinha comido bastante”, publicou Heloísa.

A tia de Tales também acrescenta que ele não tinha nenhum problema de saúde e fazia acompanhamentos médicos constantes. Outra situação que Simone classifica como boato é uma possível crise de epilepsia. “Ele nunca teve esse tipo de problema e se fosse isso eu acredito que ele teria convulsões, o que não aconteceu. A causa da morte nós vamos saber quando sair o resultado da autópsia”, completa. A mãe de Tales também falou no Facebook sobre o assunto. “Informo também que ele não sofria de epilepsia, e que epilepsia não mata. Sempre teve muita saúde e sempre se cuidava com exames periódicos, portanto as fatalidades acontecem e era a hora dele. Estamos todos aqui de passagem. Meu filho era um menino de ouro. Não tinha vícios. Vai me fazer muita falta”, disse a mãe na internet.

EMPENHO 
Tales pertencia aos quadros da agência de modelos Base MGT. Bruno Piazzi trabalhava com Tales havia um ano e meio. “Ele sempre foi muito dedicado e esforçado. Fazia questão de ouvir os feedbacks e achar maneiras de solucionar todos os problemas necessários para alcançar o sucesso. Era atencioso e proativo a todo momento. E fazia de cada instante um motivo para brilhar e irradiar aquela energia encantadora que só ele tinha”, contou. E revelou: “O maior sonho do Tales era ser reconhecido por seu talento. Ele tinha um limitador muito grande no quesito fashion, que era a altura”. Ele contou ainda que o modelo era muito cuidadoso com sua “ferramenta” de trabalho: o corpo.

Antes de começar A temporada para o SPFW, a agência fez a atualização do portfólio do modelo para apresentação das agências internacionais. Eles receberam o retorno positivo de umas das agências de Milão. “Iríamos dar prosseguimento a todo o processo para que essa ida ocorresse”, complementou. Ele havia ainda sido aprovado para um comercial que seria gravado nesta próxima semana, contou.Continua depois da publicidade

Durante o desfile, a plateia chegou a pensar que a queda do modelo era parte de uma performance. Assim que a música terminou, no entanto, os bombeiros invadiram a passarela para prestar socorro. Tales foi levado ainda com vida para a ambulância, onde a equipe de resgate tentou uma reanimação, antes de encaminhá-lo ao Pronto-Socorro Municipal da Lapa. A Luminosidade, empresa que organiza a SPFW, também emitiu um comunicado sobre a morte do modelo mineiro. “Lamentamos esta fatalidade e prestamos nossas sinceras condolências à família de Tales. Junto com a agência Base MGT, estamos prestando toda a assistência necessária neste triste momento”, encerra a nota do evento.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.