RECIFE Em tempos sombrios, vaga-lumes: Exposição de fotografia entra em cartaz no Murillo La Greca

Por: Mariana Moraes

Publicado em: 15/03/2019 19:00 Atualizado em: 15/03/2019 20:35

Foto: Divulgação (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
“A dança viva dos vaga-lumes se efetua justamente no meio das trevas e nada mais é do que uma dança do desejo formando comunidade", diz o filósofo francês Didi-Huberman em “A sobrevivência dos Vaga-Lumes", texto base para a exposição que estreia neste sábado (16), no museu Murillo La Greca, localizado no Parnamirim, Zona Norte do Recife. Intitulada Resistência Vagalume, a exibição gratuita busca trazer uma reflexão sobre questões de gênero e relações humanas através de registros do cotidiano de 10 fotógrafos.  

As obras, que estarão em cartaz até dia 30, são assinadas por Carol Melo, Clara Simas, Christina Schug, Elysangela Freitas, Guilherme Benzaquen, Keila Vieira, Larissa Alves, Társio Alves, Tiago Lubambo e Tiago Duque.  
Memento. Por Clara Simas
Memento. Por Clara Simas

A ideia para a instalação veio ainda em 2018, quando os curadores Daniela Bracchi, Eduardo Queiroga e Mateus Sá e os artistas começaram a discutir o texto do historiador de imagens francês Georges Didi-Huberman durante aulas na Escola Livre de Imagem. Na obra que inspira a exposição, Huberman narra a morte dos vaga-lumes na devastada Itália tomada pelo fascismo. A reflexão é baseada no famoso artigo O vazio do poder na Itália, escrito por Pier Paolo Pasolini, em 1975. 
Reflexo do abandono. Por Chris Schug
Reflexo do abandono. Por Chris Schug

Teimosia e resistência são as palavras que movem os artistas expostos nas paredes do La Greca. Com temas como “Nas Ruas pela Democracia” e “Geografia da Cidade”, os visitantes da exibição poderão observar desde fotografias documentais até peças mais experimentais, que buscam discutir as relações hegemônicas postas sobre o corpo, a política, o feminino e a intimidade. “Ao contrário dos holofotes sempre voltados para os grandes acontecimentos, essa exposição busca as potências de um cotidiano em resistência”, diz o texto de abertura da mostra, assinado por Guilherme Benzaquen.
Sono. Por Tiago Duque
Sono. Por Tiago Duque


Serviço 

Exposição coletiva Resistência Vaga-lume 

Abertura: 16 de março, sábado, das 15h às 18h 

Visitação: Até 30 de março. De terça à sexta, das 09h às 12h e das 14h às 17h; aos sábados das 15h às 18h 

Onde: Museu Murillo La Greca (Rua Leonardo Bezerra Cavalcante, 366, Parnamirim) 

Mais informações: (81) 3355-3129


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.