legislativo Renovada, Assembleia Legislativa se reorganiza para nova legislatura Renovação na Casa Joaquim Nabuco chegou a quase 50% nas eleições do ano passado

Por: José Matheus Santos

Publicado em: 09/01/2019 18:08 Atualizado em: 09/01/2019 18:11

A partir de fevereiro, com o início de mais uma legislatura, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) terá 24 novos deputados no quadro parlamentar. A renovação de 48,9% traz reorganização no quadro do Parlamento estadual, inclusive no âmbito das políticas voltadas à melhoria das condições de vida da população. A reportagem do Diario procurou três parlamentares para comentarem acerca das perspectivas para o mandato que se inicia em 1º de fevereiro. 

Representando o Sertão e, pela primeira vez ocupando um cargo público, o deputado eleito Fabrizio Ferraz (PHS) tem como base eleitoral a cidade de Floresta. Para ele, o fato do Sertão ter menos deputados do que outras mesorregiões do estado expõe a desigualdade de representação na Casa Joaquim Nabuco. Fabrizio também pontuou que esse fator interfere na relação do Poder Público com as necessidades da população.

“Existe fragilidade política muito grande na região, com problemas na saúde e na segurança, por exemplo, e também na geração de emprego e renda. Existem poucas políticas públicas no potencial turístico da região de Itaparica, nas áreas de caprinocultura, agricultura e piscicultura também”, pontuou Ferraz. Ele também disse que proporá cursos e capacitações na área de consumo e couro para profissionais, bem como créditos para bancos do Nordeste oferecerem créditos de investimento para produções na região. O parlamentar eleito confirmou que fará parte da base de apoio do governador Paulo Câmara (PSB). 

Outro novato na política e parlamentar estadual eleito, Antônio Coelho (DEM) afirmou que serão prioridades no seu mandato as políticas voltadas às mulheres, com apresentação de projeto de lei para que as Delegacias das Mulheres funcionem ininterruptamente durante os dias. Segundo o democrata, a atual situação é deficitária. “A implementação da Delegacia da Mulher 24 horas no estado é um objetivo. Hoje, há uma situação lamentável, pois as Delegacias da Mulher fecham nos períodos em que a maioria das agressões acontecem: à noite e nos finais de semana”, destacou Antônio, filho do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) e com base política em Petrolina, no Sertão do São Francisco. Ainda segundo Antônio, os atendimentos deveriam ser feitos por policiais também mulheres. Ele também ratificou que será oposição no segundo mandato do governador Paulo Câmara. 

Representando o mandato coletivo da Juntas (PSOL), algo inédito em Pernambuco, a deputada eleita Jô Cavalcanti disse que o diferencial do mandato será a participação popular por meio de conselhos políticos, com diálogo sobre a atuação. “Vamos receber os movimentos sociais e a sociedade civil em geral, pois recebemos votos de diversas pessoas espalhadas pelo estado, então o mandato estará aberto para os eleitores que chegarem lá (na Alepe) e conversarem sobre as pautas. Haverá conselhos políticos com a participação aberta para a população. Já está sendo tudo costurado”, afirmou Jô. Um dos focos de atuação será o combate à homofobia e a discussão de projetos da comunidade LGBT. “Vamos fazer jus ao voto popular, até porque três LGBTs compuseram a chapa das Juntas. É uma pauta que merece atenção, pois é, depois das mulheres, o público LGBT é o que mais morre hoje”, conclui a deputada eleita. 
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.