Eleições Rede desautoriza aliança de Julio Lóssio com apoiadores de Bolsonaro Em nota, a direção estadual do partido ressalta que não foi consultada sobre o apoio que seu candidato a governador, Julio Lóssio, recebeu do coronel Luiz Meira, um dos principais representantes de Bolsonaro no estado

Por: Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/09/2018 16:09 Atualizado em: 13/09/2018 16:36

Lossio sugeriu bonificação para policiais que trabalham na rua e disse que proposta foi sugerida por Meira (E). Foto divulgação/JulioLóssio/Self
Lossio sugeriu bonificação para policiais que trabalham na rua e disse que proposta foi sugerida por Meira (E). Foto divulgação/JulioLóssio/Self

 

A Comissão Executiva Estadual da Rede Sustentabilidade divulgou uma nota, nesta quinta-feira (13), para “desautorizar qualquer aliança de seus candidatos majoritários com apoiadores da candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), em Pernambuco, utilizando a legenda da REDE. No texto, a direção estadual do partido ressaltou que não foi consultada sobre o apoio que seu candidato a governador, Julio Lóssio, recebeu do coronel Luiz Meira (PRP), um dos principais representantes de Bolsonaro no estado. Meira era candidato ao governo antes de ter a candidatura rifada pelo seu próprio partido, que resolveu apoiar o governador Paulo Câmara (PSB).

Veja o que disse o coronel Luiz Meira sobre Julio Lóssio

“A REDE reafirma seu compromisso com a cultura de paz e em oposição a projetos políticos que estimulam o ódio, a violência, a misoginia, a homofobia, o racismo, a xenofobia e a repressão aos movimentos sociais”, diz outro trecho da nota.

O texto é uma reação ao apoio declarado por Meira a Julio Lossio na última quarta-feira. Na mesma ocasião, ele disse que o candidato tinha assimilado propostas que ele tinha elaborado para a segurança nos últimos meses. Meira disse que enxergava Lóssio como uma liderança de “direita”. Já o ex-prefeito de Petrolina afirmou que preferia não ser rotulado como esquerda ou direita.

ESTREMECIMENTO
Lóssio afirmou, ao Diario, que tanto o apoio do coronel Meira quanto de Gilson Machado - este último faz parte da articulação política nacional de Bolsonaro -, são pessoas bem-vindas em sua campanha, porque, segundo ele, em todos os partidos há pessoas de bem, como a própria Marina Silva (Rede) já declarou durante discursos. “A função de um governante não é separar as pessoas, é unir as pessoas através de um projeto. Engraçado que a Rede fez parte do governo Eduardo Campos onde o coronel Meira estava. Quer dizer, naquela época não tinha problema? Então, agora, alguns membros, que têm uma visão muito sectária, querem afastar uma figura que é decente, um cara direito, defende ideias de proteção do cidadão, ideias de proteção da família... Ele, o coronel Meira, e os membros do partido, foram rifados. O Palácio levou o partido dele para a sua base e o PSL negou a legenda para Gilson Machado disputar a eleição do Senado porque queria se entregar a Armando Monteiro (PTB). Eu estou buscando somar as pessoas que acreditam na minha campanha. A própria Marina disse que há pessoas de bem em todos os partidos. E o Meira e o Gilson Machado são de bem e são bem- vindos”.  



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.