Sabatina Maurício Rands pretende fazer negociação coletiva com pernambucanos endividados Candidato ao governo de Pernambuco pelo PROS deu entrevista, na manhã desta quarta-feira, e apresentou proposta "Nome Limpo"

Por: Mariana Moraes

Publicado em: 12/09/2018 15:32 Atualizado em: 12/09/2018 15:59

Maurício Rands, candidato ao Governo de Pernambuco pelo PROS, foi o segundo postulante a participar da sabatina oferecida pelo G1, portal da Rede Globo de Comunicação, no começo da tarde desta quarta-feira (12). Durante entrevista, Rands se apresentou como um "político pouco convencional", criticou a campanha dos dois primeiros nomes nas pesquisas de intenção de votos e apresentou a proposta do "Nome Limpo" para os pequenos devedores no Estado.  

Para o candidato, os dois principais concorrentes ao pleito de governador fizeram campanha escorados no nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  "As candidaturas de Paulo e Armando diziam que o candidato do PT seria Lula. Eu disse a verdade à população", afirmou Rands, que declarou voto a Ciro Gomes (PDT) para a presidência. 

O postulante aproveitou o momento da entrevista para divulgar uma nova proposta que pretende colocar em prática, caso seja eleito: inspirado pelo projeto "Nome Limpo" de Ciro Gomes, Rands fala em fazer negociação coletiva para pernambucanos endividados. "Vamos fazer um REFIS para o pequeno devedor". Com isso, centenas de pernambucanos vão voltar a consumir porque vão ter acesso ao microcrédito", completou. 

Para Rands, Pernambuco usa uma lógica "fazendária" para a economia, preocupando-se apenas com a arrecadação. Como alternativa para o setor, Rands apresenta a ideia do uso de criptomoedas e Moedas Comunitárias. "A criptomoeda cria um mercado paralelo que movimenta a economia, já que o estado está inadimplente". Ele ainda defende que a medida diminuiria as investidas de assaltantes aos bancos e caixas eletrônicos, uma vez que o valor do real diminuiria nos locais onde circulasse esse tipo de câmbio.  

Em relação à violência do estado, Rands falou em colocar mais policiais na rua, descentralizar presídios e "criar o fundo de inteligência para segurança pública, utilizando os recursos da indústria da multa de trânsito".

Quando questionado sobre o seu plano de governo, Maurício afirmou que ele será moldado de forma colaborativa com seus eleitores. "Ao cabo da campanha vamos fazer uma síntese das sugestões e lançar o plano antes das eleições", explicou o postulante.

Ao final da entrevista, foram colocadas perguntas onde Rands poderiam responder apenas sim ou não. Neste momento, o candidato se mostrou favorável ao aborto, descriminalização da maconha e às cotas. As questões do porte de armas e redução da maioridade penal foram respondidas negativamente.  

De acordo com a mais recente pesquisa para governo do Estado, realizada pelo Instituto Real Time Big Data na última quarta-feira (5), Rands possui 6% das intenções de voto


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.